quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

AMIGO MUSICAL CONVIDADO #19 - Márcio Almeida Nicolau

O dono do "Intertextual". Não conhece? Que vergonha pra você!



Interligado intimamente na internet por 3 vias: Intertextual, Intermediário e Interview.

Instigante. Interativo. Inteligente. Intenso.

Conheci o Márcio graças ao excelente "Espaço Intertextual", blog literário que comanda. O que mais me chamou a atenção foi a maneira com a qual ele se traduz - pela interligação. Não apenas de palavras, mas seu universo inteiro aparenta precisar desse tipo de interlocução - ganchos que se buscam ávidamente. Seja nas palavras de seus ricos textos, seja na maneira com a qual entrevista seus convidados (vejam a entrevista que lhe concedi no post anterior), ele tem o lúdico dentro de si, e a genialidade de aproveitar detalhes imperceptíveis/mínimos para "provocar" adiante uma questão mais aprofundada e oportuna. Sempre fazendo valer a máxima da interligação - é alguém que não concebe a ideia de palavras soltas ou rasas. Tudo requer complemento e fundamento recíproco, sob pena de perder toda a mágica.
Definir o Marcio pessoa: apesar do pouco contato que tivemos, dá pra "pescar" muito do que é por sua obra.. Assim como letras de nossa música popular brasileira, há muito mais revelações na arte dos poetas do que se pensa e eles dificilmente são mesmo fingidores, como diz "Pessoa". Mas é alguém que prima pela discrição antes de tudo, preferindo sabiamente manter-se distante e se expressar de forma tácita/indireta.
Alucinado por Marina Lima, recordo-me fácil uma de suas primeiras frases aqui: "que beleza ver a Marina tão bem colocada no ranking do EnTHulho". A afinidade musical estabeleceu-se. "Música é outro grande vício meu". Conexão - e o início de uma grande parceria na blogsfera, com ares de duradoura. Deixo-lhes então com o belo relato deste virginiano de Rio das Ostras (RJ) que é, como não poderia deixar de ser, feito com sua marca registrada e bem peculiar de se manifestar - o forma lúdica de manusear habilmente as palavras!

"O certo é incerto, o incerto é uma estrada reta"



[Para Marina Lima]


Pra começar, é virgem o signo. Eu analiso. O olhar atento sinaliza. Ampla a significação, inteira se mostra. Por partes. Divide-se e amplia. Estrangeira, todavia, traduz, revela semelhança. Pela diferença, se identifica. Música, letra e dança.
Lá nos primórdios, acesa a chama, dança. Simples como fogo a expressão. Eu criança, dizia: eu danço bem e não vou parar. Fugaz a infância, ensina a não dançar tão devagar.
A vida segue. E no vai e vem aponta: "um certo norte está onde ela está". Na sua. Intensa presença. Sutil, é notada. No escuro se lança, grávida de som, dá luz à canção.
Linguagem universal. Atemporal, urbana, intimista, contemporânea: arte. Inquieta. É discreta sua voz. Única.
Até a ausência é marcante. E é sonoro o retorno. Difícil, às vezes. Segue o chamado, desperta. Ao acordar, ouve acordes. É setembro, me chama, eu leio sinais. Um arco de luz. “Você me abre seus braços e a gente faz um país.”


MARCIO ALMEIDA NICOLAU

Intertextual:http://espacointertextual.blogspot.com/
Intermediário [Com Saulo Taveira]: http://espacointertextual.blogspot.com/p/interme-diario.html
Interview: http://espacointertextual.blogspot.com/p/interview.html

Entrevista para Loba de Ray-Ban: http://lobaderayban.blogspot.com/2010/12/marcio-nicolau-quando-intertextualidade.html?zx=4d40624a52c190e7


********************************

FULLGÁS
Antonio Cicero. Marina Lima

Meu mundo você é quem faz
Música, letra e dança
Tudo em você é fullgás
Tudo você é quem lança
Lança mais e mais
Só vou te contar um segredo
Não nada
Nada de mal nos alcança
Pois tendo você meu brinquedo
Nada machuca, nem cansa

Então venha me dizer
O que será
Da minha vida
Sem você

Noites de frio
Dia não há
E um mundo estranho
Pra me segurar
Então onde quer que você vá
É lá, que eu vou estar
Amor esperto
Tão bom te amar

E tudo de lindo que eu faço
Vem com você, vem feliz
Você me abre seus braços
E a gente faz um país
Você me abre seus braços
E a gente faz um país


TH - Deliciosamente Pop!





21 comentários:

  1. muito bom teu blog...
    postagem maravilhosa...
    http://papodelagarta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Muito legal o texto do teu amigo sobre a Marina, TH. Talentoso ele!
    E Fulgás é excelente!!!!
    Abraçossss

    ResponderExcluir
  3. Márcio Almeida consegui me sensibilizar com que escreveu para Marina. Realmente comovente. Parabéns para o TH que só tem envolta de si pessoas muito especiais.

    ResponderExcluir
  4. Excelente postagem. Tanto a entrevista por ti, TH, concedia ao Marcio como o texto dele a Marina. Realmente é fã dela, a gente percebe nas primeiras linhas do texto.

    Parabéns!!!

    Abração.

    ResponderExcluir
  5. THiago, entrar aqui, conhecer mais do teu trabalho e encontrar este relato sobre Marcio é uma alegria, pois assim sentimos que a interTextualidade está e estará sempre entre nós.

    Parabéns pela tua entrevista, um encontro de Amor à música e arte.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Que poesia mais linda. O autor do texto usou de enunciados mariniamos" para descrever a obra dela, num todo: chamado, não sei dançar, fugaz, criança... Tudo isso que a gente conhece dela.

    Eu também fiz um texto sobre ela pro blog mas eu me atentei mais ao aspecto melancólico da música dela. Vem mem breve, espero que gostem.

    ResponderExcluir
  7. O texto do Marcio foi bem caracteristico e engloba a obra da moça em geral, e o do Marcelo, que virá em Janeiro, bem mais intimista.

    Ambos geniais...Marina Lima me trouxe GRANDES talentos aqui pra o EnTHulho. Que poder ela tem, hein?

    Agora especificadamente sobre o dono da seção de hoje, tentei traduzi-lo no texto mas é totalmente insuficiente...que outras participações afetivas ricas do moço aqui aconteçam! ;)

    ResponderExcluir
  8. Que beleza de texto esse do Márcio! (principalmente para quem conhece o trabalho e a carreira da Marina..rs)

    Fullgás é uma dessas músicas que, embora manjadíssima, nao dá pra enjoar, e se mantém (ainda hoje) como uma de minhas preferidas da Marina. "Você me abre seus braços e a gente faz um país!" é poesia pura, simples, acessível...

    Já fui fã de carteirinha da Marina, desses de chegar no show 2 horas antes, seguir até o hotel após o show, tentar tocar, tirar foto, e por aí vai, e já postei uns 30 vídeos dela na internet do meu arquivo.
    Hoje, quando vejo uma legião de fãs seguindo o trabalho dela, mesmo com registros à meia voz, compreendo que nunca fã verdadeiramente, pois o verdadeiro fã segue seu ídolo na alegria e na tristeza. Eu era fã da musicalidade da Marina. Quando aquilo nao me interessou mais, parei de segui-la. Não sou mais fã, apenas admiro o trabalho e a cantora, mas nem por isso serei o linchador de amanhã, como dizia a canção de cazuza..rs

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Simplesmente amei seu blog.
    Adoro MPB.
    Acho que ter um blog significa ter um espaço para dividir com pessoas de todo lugar do mundo, coisas que gostamos, pelas quais nos apaixonamos, aquilo que move nossa alma e nosso coração. Você faz isso muito bem.
    Parabéns!

    http://sabordaletra.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. TH,

    O Márcio merece essa sua homenagem que, ainda por cima, está muito bem feita, bem escrita, com imensa credibilidade. É bom ver a juventude a interagir. O texto sobre Marina deveria chegar até ao conhecimento dela.

    Muito agradecido.

    António

    ResponderExcluir
  12. Que bom que sensibilizei, você, Arquimedes.

    Estou esperando teu texto, Marcelo.

    Gui, senti balançar teu coração, acho que consegui o que pretendia com o texto. (rs)

    Carmen, Saulo e demais leitores, muito obrigado.

    Antônio: enviarei pra ela o texto. E você tem razão: o Thiago escreve muito bem e foi muito carinhoso comigo.

    Thiago, obrigado por este encontro afetivo. O Arquimedes tem razão sobre a tua aura que atrai energias positivas.

    ResponderExcluir
  13. Thiago, lindo demais teu texto pra mim. Vaidoso, releio.

    E esteja certo: demos início a uma parceria.

    Um abraço cheio de afeto.

    ResponderExcluir
  14. Uau! Que delícia de texto. Parabéns ao Marcio. Curto muito o trabalho de compositora da Marina e sua voz rouca e quente tem assinatura. Inconfundível! O acústico MTV da cantora está constantemente em meu DVD player...rs!

    ResponderExcluir
  15. Marina, uma voz diferenciada. Prefiro muito mais uma voz feminina, acho que se encaixa melhor na música de um modo geral! Muito legal o seu blog!! to seguindo

    www.feriasdopresidente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Raros textos me prendem pela qualidade. Muito infelizmente a delicada relação com a palavra escrita é constantemente vilipendiada por aqueles que não entendem o delicado e o trabalhoso que isso é: manter entre linha e entrelinha um diálogo franco, intenso, nunca banal e sempre artístico. Porque escrever (bem) é assim: perceber, sentir, interagir e... traduzir!
    Parabéns ao Márcio pela entrevista e pelo texto sobre a Marina.
    Rico.
    Por que é que será que não me surpreendeu NADA o fato de que tu és um VIRGINIANO?
    Salve a sexta e tão iluminada cada do zodíaco e sua percepção além do horizonte!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Esse Moço Intertextual é simplesmente.......não há necessidade de adjetivos.

    ELE É.

    MÁRCIO NICOLAU
    é o substantivo absoluto,
    verdadeiro, singular, único,
    sem igual,
    sem fronteira,
    nem abismo ou dogma que limita.
    Márcio Nicolau
    é a pedra rara, ímpar
    sobre a qual se ergue o absurdo
    pedra filosofal
    analisa, usa,
    transforma o verbo, repele
    peles envergonhadas que não se desnudam.
    Márcio Nicolau
    é a metáfora
    pergunta que constrange
    não cala nunca nem grita,
    apenas reverbera mentes, corações
    almas através de espelhos foscos
    ou quebrados,
    mutilados pelo mau uso.
    Márcio Nicolau
    é tão simplesmente
    o doce Menino na marina
    em frente aos achados e perdidos
    navios naufragados ou
    somente abusados destinos distantes.

    O intruso mais convidado,
    dentro do meu COGUMELO
    ELE é o que dá a melhor Onda...


    Lou Albergaria


    Te amo, Meu querido!!!



    Parabéns, Thiago, pelo excelente post!

    Impossível falar do Márcio sem recorrer a poesia. Ele é a própria poesia...

    ResponderExcluir
  18. sem palavras para estes dois últimos comentários que eu ainda não tinha visto!

    THiago, você me deu vários presentes lindos com a divulgação do texto aqui.

    Obrigado mesmo.


    MCI, Lou, não vou esquecer destas palavras.

    ResponderExcluir
  19. Palavras afiadas, sábias, sabidas, refletidas nas águas do mar da vida. Palavras que dão vida. Acordam. Encantam. Iluminam e fazem sinais de fogo. Mostram o caminho.

    Belíssima homenagem a este moço predestinado com o dom das palavras.

    Beijos aos dois!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...