domingo, 4 de dezembro de 2016

TOPTULHO MUSICAL # 104!



Chegamos a Dezembro, o mês que já aparece com uma árdua missão: salvar nosso 2016!

E o fim de Novembro foi tenso, hein? Acidente aéreo, reunião de ratos do Congresso Nacional para aprovar a PEC do fim do mundo na calada da noite, justamente na noite em que o país estava comovido com o a morte dos jogadores Chapecoenses...Temer, você é UM MALDITO!!!

Também perdemos Fidel Castro que, ideologias políticas à parte, escancarou o quanto o mundo está ensandecido e doente de ódio, diante das exaltações sobre sua morte...

Vamos voltar à nossa seção...que beleza de "festa da música" que foi o aniversário de 2 anos do TopTulho, hein? E mais uma vez foi recordista de visualizações! Agradeço o carinho de vocês!

E hoje começa a terceira temporada do TopTulho. Gostaram de ver o novo logotipo no alto? Aguentem aí que, no final dessa edição 104, vocês conhecerão o novo logotipo do TopTulho Musical do Passado também! 

Faltam 3 edições para encerrar o ano, e, na última semana de Dezembro, vai ao ar o TOPTULHO MUSICAL - RETROSPECTIVA 2016! A despeito do trabalho que vai dar elencar os melhores momentos desse ano, teve muita música boa, e elas serão homenageadas nesse dia! Aguardem que vai ser muito legal!

Hoje, a gente tem três estreias, que entram nos lugares de Alceu Valença, Monique Kessous e Martinho Da Vila: a filha de João Bosco, Júlia Bosco, com "Cartas Marcadas"; Aline Muniz, com seu novo single, "Eu, Você e Mais Ninguém" e a banda araraquarense Liniker e Os Caramelows com "Zero" (não confundir com o Lineker que já está na parada). E Baby Do Brasil assume a liderança com 'Malandro", e por isso ela é o destaque dessa edição!

Vamos ver, então, como ficou essa 104ª edição!

TOPTULHO MUSICAL - EDIÇÃO # 104 - 04/12/16

1) BABY DO BRASIL - Malandro (+1) (8 Semanas)  
2) MARIA BETHÂNIA - Era Pra Ser (-1) (6 Semanas)    
3) BLITZ & ZECA PAGODINHO - Fominha (+3) (4 Semanas)     
4) NANDO REIS - Só Posso Dizer (+1) (9 Semanas)    
5) TIAGO IORC - Coisa Linda (-1) (12 Semanas)  
6) ANA CAROLINA - Se Manca (+5) (8 Semanas) 
7) DIOGO NOGUEIRA - Sangrando (-4) (11 Semanas) 
8) ANAVITÓRIA - Agora Eu Quero Ir (=) (6 Semanas)  
9) TIÊ - Onde Está O Amor? (=) (5 Semanas)
10) PONTO DE EQUILÍBRIO & IVETE SANGALO - Estar Com Você (=) (5 Semanas) 
11) FILIPE CATTO - Depois De Amanhã (-5) (9 Semanas)      
12) DANIELA MERCURY - Meu Plano (+1) (4 Semanas)  
13) ARTHUR AGUIAR - A Flor (+2) (3 Semanas)
14) SILVA - Feliz e Ponto (+3) (2 Semanas)
15) LINIKER E OS CARAMELOWS - Zero (ESTREIA)
16) LINEKER - Alguém Segure Esse Homem (=) (4 Semanas)
17) JÚLIA BOSCO - Cartas Marcadas (ESTREIA)
18) ROBERTA CAMPOS - Minha Felicidade (-6) (11 Semanas)  
19) MARIA RITA - Coração A Batucar (-5) (12 Semanas) 
20) ALINE MUNIZ - Eu, Você e Mais Ninguém (ESTREIA)

Saem:

MARTINHO DA VILA - Escuta Cavaquinho (13 Semanas. Maior posição: 03) 
ALCEU VALENÇA - Flor De Tangerina (11 Semanas. Maior posição: 12)  
MONIQUE KESSOUS - Pedaço De Ilusão (7 Semanas. Maior posição: 11) 

A rica interpretação pertence ao "Sambabook" que celebra a obra de Jorge Aragão,. Sim, Baby Do Brasil ataca de samba, fazendo uma homenagem tão boa ao sambista que tem sido muito pedida nas rádios de MPB, há meses!

Lembremos que o samba está em seu centenário, razão pela qual o estilo foi bem requisitado ao longo de todo o 2016!

Aliás, nesse ano, Baby teve muito destaque por ser a voz mais forte do hit das Olimpíadas, "Se ligaê", ao lado de Rogério Flausino e Sérgio Mendes, do que podemos concluir que foi um 2016 frutífero pra arista! Fiquemos agora com ela que está comandando a parada a partir dessa edição!




MALANDRO
Jorge Aragão
Baby Do Brasil

Lá Laiá, Laiá Laiá, Laiá Laiá Laiá!
Laiá, Laiá, Laiá, Laiá Laiá!
Eh! Laiá, Laiá, Laiá Laiá Laiá!
Laiá Laiá Laiá, Laiá Laiá!...

Malandro!
Eu ando querendo
Falar com você
Você tá sabendo
Que o Zeca morreu
Por causa de brigas
Que teve com a lei...

Malandro!
Eu sei que você
Nem se liga pro fato
De ser capoeira
Moleque mulato
Perdido no mundo
Morrendo de amor...

Malandro!
Sou eu que te falo
Em nome daquela
Que na passarela
É porta estandarte
E lá na favela
Tem nome de flôr...

Malandro!
Só peço favor
De que tenhas cuidado
As coisas não andam
Tão bem pro teu lado
Assim você mata
A Rosinha de dor...

Lá Laiá, Laiá Laiá, Laiá Laiá Laiá!
Laiá, Laiá, Laiá, Laiá Laiá!
Laiá, Laiá, Laiá Laiá Laiá!
Laiá Laiá Laiá, Laiá Laiá!...

Malandro!




Quando acabar o gingado, venha conhecer o novo logotipo do...



Espero que tenham curtido!!

Dando sequência à retrospectiva da década de cinquenta, agora revisitaremos o ano de 1956, justamente aquele em que minha mãe nasceu (desculpa, mãe) !

Para esta edição, "pesquei' informações do Almanaque da Década de 50 (http://almanaquedec50.blogspot.com.br/2007/08/1956_17.html), a saber:

Na área de economia e política no mundo, houve o ataque de Nikita Khruschev à veneração de Stálin como sendo “culto à personalidade”, caracterizando a “desestalinização”, em 23 de fevereiro.

A URSS invade a Hungria para conter a Insurreição Húngara (26 de outubro).

Em 29 de Outubro ocorreu a crise de Suez : Israel invade a península de Sinai e força as tropas do Egito para o outro lado do Canal de Suez. Em 2 de Dezembro Fidel Castro e seus seguidores desembarcam em Cuba, inicializando a guerrilha contra a ditadura de Fulgencio Batista.

No Brasil , em 1º de fevereiro, o novo presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, expõe em seu primeiro dia de governo um excelente plano desenvolvimentista que promete fazer o país avançar “50 anos em 5”.




Juscelino entregou aos exímios arquitetos Lúcio Costa e Oscar Niemeyer o projeto para a construção da nova capital brasileira, Brasília, que seria construída na região do Planalto Central.

Elvis Presley aparece no The Ed Sullivan Show, pela primeira vez. (9. setembro 1956).

Nos cinemas, "O Homem Do Braço De Ouro", "Fuzileiro Do Amor" (Mazzaropi), "Alexandre, O Grande", "Rastros De Ódio" (John Wayne), "O Homem Que Sabia De Mais", "O Rei e Eu", "Godzilla", "Palavras Ao Vento", dentre outros...

Na música internacional, alguns sucessos clássicos:

AL HIBBLER - He
BILL HALEY & HIS COMETS - Rock Around The Clock
BILLY VAUGHAN - The Shifting Whispering Sands
BOYD BENNETT - Seventeen
CARL PERKINS - Blue Suede Shoes
CHUCK BERRY - Maybellene 
DEAN MARTIN - Memories Are Made Of This
DICK HYMAN TRIO - Moritat (A Theme From The Three Penny Opera)
ELVIS PRESLEY - Don't Be Cruel
ELVIS PRESLEY - Heartbreak Hotel
ELVIS PRESLEY - Hound Dog
FONTANE SISTERS - Seventeen
FRANK SINATRA - Love And Marriage
GALE STORM - I Hear You Knocking
GISELE MACKENZIE - Hard To Get
GOGI GRANT - The Wayward Wind
JOE FINGERS CARR - Portuguese Washer Women
JONI JAMES - You Are My Love
LES BEXTER - The Poor People Of Paris
LES BEXTER - Unchained Melody
LOS INDIOS - Historia De Un Amor
NELSON RIDDLE - Lisbon Antigua
PAT BOONE - I Almost Lost My Mind
PERRY COMO - Tina Marie
ROGER WILLIAMS - Autumn Leaves
RUSTY DRAPER - The Shifting Whispering Sands
TENNESSEE ERNIE FORD - Sixteen Tons
THE PLATTERS - Only You
TRIO CRISTIAL - Recuerdos De Ypacarai

E, na nacional, a gente confere...AGORA! Voando para...1956!

...Há 60 anos!

1) CAUBY PEIXOTO - Conceição
2) DORIVAL CAYMMI - Maracangalha
3) JORGE GOULART - A Voz Do Morro
4) CARMEN COSTA - Obsessão
5) NELSON GONÇALVES - Meu Vício É Você
6) DEMÔNIOS DA GAROA - Iracema
7) JAMELÃO - Exaltação À Mangueira
8) ATAULFO ALVES - Mulata Assanhada
9) VOCALISTAS TROPICAIS - Turma Do Funil
10) TRIO IRAKITAN - Siga
11) DOLORES DURAN - Filha Do Chico Bento
12) MARLENE - O Lamento Da Lavadeira
13) SILVIA TELLES - Foi A Noite
14) JOHNNY ALF - Rapaz De Bem
15) DALVA DE OLIVEIRA - Nesse Mesmo Lugar
16) CONJUNTO FARROUPILHA - Favela
17) AGOSTINHO DOS SANTOS - Até Logo Jacaré
18) GILBERTO ALVES - Uma Grande Dor Não Se Esquece
19) ISAURA GARCIA - Contra-Senso
20) MANEZINHO ARAÚJO - Cuma É O Nome Dele?

MENÇÕES HONROSAS:

ADELAIDE CHIOZZO - Meu Papai
ADELAIDE CHIOZZO - Nós Três
ADELAIDE CHIOZZO - Papel Fino
ALBERTINHO FORTUNA - Bebe Comigo
ALBERTINHO FORTUNA - Caminto
ALBERTINHO FORTUNA - Gira Gira
ALBERTINHO FORTUNA - Prisioneiro Nº 14
ÂNGELA MARIA - Fala Mangueira!
ÂNGELA MARIA & JOÃO DIAS - Mamãe
ÂNGELA MARIA & JOÃO DIAS - Papai Noel Esqueceu
BILL FARR - Era De Madrugada
CARLOS GALHARDO - Folhas Mortas
CARLOS GALHARDO - Papai Noel
CARLOS GONZAGA - Meu Fingimento
CARLOS GONZAGA - Ventura Distante
CARLOS NOBRE - O Mesmo Mar
CARLOS NOBRE - Se Depender De Mim
CARMÉLIA ALVES - Cevando O Amargo
CARMEN COSTA - A Morena Sou Eu
CASCATINHA & INHANA - Recordações De Ypacarai
CAUBY PEIXOTO - Molambo
DALVA DE OLIVEIRA - Prece
DALVA DE OLIVEIRA - Lencinho Querido
DIRCINHA BATISTA - Buraco Da Fechadura
DORIS MONTEIRO - Mocinho Bonito
DORIVAL CAYMMI - Só Louco
EDU DA GAITA - Moritat (Assalto)
ESTER DE ABREU - Ninguém É Como Tu
FRANCISCO CARLOS - Flor Menina
HEBE CAMARGO - Mambo Italiano
HEBE CAMARGO - Tintim Por Tintim
HELENA DE LIMA - Prece
HELENINHA COSTA - Madeira De Lei
HELENINHA COSTA - Rádio Patrulha
ISAURA GARCIA - Mocinho Bonito
JACKSON DO PANDEIRO - Boi Da Cara Preta
JAMELÃO - Folhas Mortas
MARTHA JANETTE - Inspiração
MORENO & MORENINHO - 13 De Maio
NELSON GONÇALVES - Nossa Senhora Das Graças
NELSON GONÇALVES - Por Um Beijo De Amor
NELSON GONÇALVES & TRIO DE OURO - Natal Branco
NEYDE & NANCY - Amukiriki (The Lord Willing)
NORA NEY - Só Louco
OS CANCIONEIROS - Nação Nagô
PALMEIRA & BIÁ - Boneca Cobiçada
PATRÍCIO TEIXEIRA - Azulão
RISADINHA - Saco De Papel
SILVIO CALDAS - Pierrot

COMENTÁRIOS: Apesar de controvérsias entre críticos musicais, a Bossa Nova tem sua estreia oficial apenas em 1958, com um compacto lançado de João Gilberto, mas, por depoimentos de Tom Jobim e Nara Leão, em 1956 já se tinha alguma coisa, oriunda da reunião de grandes expoentes do estilo na casa de Nara. Mas, para todos os efeitos, oficialmente ainda não foi nesse 56 que ela surgiu...

Aqui, o samba canção foi o estilo mais defendido. Mas, o quarteto cantores barítonos, cantoras de rádio, conjuntos de bolero e samba foi amplamente explorado, basta ver a relação, que não se difere tanto dos anos anteriores.

O Cauby já foi destaque aqui no TopTulho Do Passado, na temporada ANOS 60, mas o maior sucesso da carreira dele estava no auge justamente nesse 1956, razão pela qual escolhi lhe homenagear merecidamente, ainda mais nesse que foi o ano em que ele nos deixou...

Sempre vai ter lugar cativo aqui no TopTulho! Senhoras e senhores, agora ficaremos com a versão original de CONCEIÇÃO!




CONCEIÇÃO
Cauby Peixoto

Conceição
Eu me lembro muito bem
Vivia no morro a sonhar
Com coisas que o morro não tem

Foi então
Que lá em cima apareceu
Alguém que lhe disse a sorrir
Que, descendo à cidade, ela iria subir

Se subiu
Ninguém sabe, ninguém viu
Pois hoje o seu nome mudou
E estranhos caminhos pisou

Só eu sei
Que tentando a subida desceu
E agora daria um milhão
Para ser outra vez Conceição


TH - Um beijo para todas as Conceições do mundo!



domingo, 27 de novembro de 2016

TOPTULHO MUSICAL # 103! (ESPECIAL MILTON NASCIMENTO - 2 ANOS DE TOPTULHO!!)



Chegue junto mais um pouco! Agora a festa só tá começando!! São dois anos de TopTulho Musical - a sua parada de MPB predileta, sempre antenada com as maiores novidades do gênero, e o primeiro convidado é ninguém menos que o nosso BITUCA! Milton Nascimento!!

Um dos mais sensíveis músicos do país hoje recebe uma merecida homenagem! São 54 anos de carreira, 74 de idade (completados há um mês - 26 de Outubro), 37 discos, parcerias lendárias e muita, muita poesia e lirismo musical na bagagem!

Agora, vamos ver o que já foi dito de nosso Milton aqui no blogue, há cinco anos (Novembro de 2011):

""Sempre me perguntaram que tipo de música eu faço, nunca soube explicar. Certa vez fui convidado para um festival de jazz na Dinamarca. Quando cheguei lá, o cartaz da noite dizia: ‘Miles Davies - jazz’, ‘Fulano de tal - rithym and blues’, ‘Milton Nascimento - Milton’. Foi a melhor definição."

O Homem com a voz de pássaro.

Seria o famoso "rouxinol"?

Eu enxergo Milton como uma entidade da música brasileira. Dos hits arrebatadores às músicas menos óbvias (quando canta em clima de procissão, por exemplo), de toda maneira ele consegue emocionar, e não é qualquer mera emoção - ele busca a maior de todas, na alma dos ouvintes, que lhe abençoam como oração devotada. Não é tarefa fácil na música brasileira - a emoção é dom dos bons. E como os bons são afins, não poderemos nunca falar de Milton Nascimento sem mencionar toda sua trupe do "Clube de Esquina"; ou suas lindas parcerias com a internacional Mercedes Sosa; ou dos amigos musicais que faz tanto questão de homenagear como Fernando Brant; ou ainda Elis Regina - a admiração e afinidade entre cantor e diva é mútua e arrebatadora, e espiar a carreira do mestre sem mencionar a intensa participação da intérprete é fazer uma análise rasa e supérflua.
Falar de Milton Nascimento é também resgatar a rica musicalidade mineira, composta de ídolos que se identificam "de alma" com o cantor, como Lô Borges, Flávio Venturini, Beto Guedes...nem todos mineiros de fato (o próprio Milton é do Rio de Janeiro, sabiam?), porém o movimento musical tem tudo a ver com um dos estados que mais admiro e que o EnTHulho Musical estava louco pra mergulhar com louvor na cultura mineira, pegando a música sem rótulos ou classificações que Milton sempre esteve habituado a fazer...

Ê Minas Gerais..."



O TopTulho quis saber, então, quais as preferidas do Bituca na voz dos internautas, e o resultado foram hits e mais hits votados, mais uma sorte imensa de sucessos que ficaram de fora. Enfim, com uma trajetória tão vasta, só podia acontecer isso mesmo, mas foi bem curioso o resultado, que você confere...AGORA!

1) TRAVESSIA (Álbum "Travessia", de 1967)
2) CORAÇÃO DE ESTUDANTE (Álbum "Ao Vivo", de 1983)
3) CAIS (Álbum "Clube De Esquina", de 1972)
4) MARIA MARIA (Álbum "Clube De Esquina II", de 1978)
5) CANÇÃO DA AMÉRICA (Com "Boca Livre". Álbum "Sentinela', de 1980)
6) QUEM SABE ISSO QUER DIZER AMOR? (Álbum "Pietá", de 2002)
7) FÉ CEGA, FACA AMOLADA (Álbum "Minas", de 1975)
8) PARA LENNON E MCCARTNEY (Álbum "Milton", de 1970)
9) CAÇADOR DE MIM (Álbum "Caçador De Mim", de 1981)
10) PEIXE VIVO (Álbum "JK - Trilha Sonora", de 2006)
11) ENCONTROS E DESPEDIDAS (Álbum "Encontros e Despedidas", de 1985)
12) NOS BAILES DA VIDA (Álbum "Caçador De Mim", de 1981)
13) BOLA DE MEIA, BOLA DE GUDE (Álbum "Miltons", de 1988)
14) PAISAGEM NA JANELA (Álbum "Clube De Esquina", de 1972)
15) PIETÁ (Álbum "Pietá", de 2002)
16) CÁLICE (Com Chico Buarque) (Álbum "Chico Buarque", de 1978)
17) GIRA, GIROU (Álbum "Travessia", de 1967)
18) CLUBE DE ESQUINA n. 2 (Álbum "Clube De Esquina", de 1972)
19) O QUE SERÁ, QUE SERÁ? (À FLOR DA PELE) (Com Chico Buarque) (Álbum "Geraes", de 1976)
20) NADA SERÁ COMO ANTES (Álbum "Milton", de 1970)

TAMBÉM FORAM VOTADAS:

21) O ROUXINOL
22) PEIXINHOS NO MAR
23) IRMÃO DE FÉ
24) MENESTREL DAS ALAGOAS
25) CORAÇÃO CIVIL
26) CANÇÕES E MOMENTOS (Com Coral Bamerindus)
27) VIOLA ENLUARADA
28) O CIO DA TERRA
29) O TREM AZUL
30) CANCION PARA CARITO (Com Mercedes Sosa e Leon Grecco)
31) O QUE FOI FEITO DEVERA
32) XICA DA SILVA
33) O SOL
34) CERTAS CANÇÕES
35) VOA BICHO
36) BREATH AFTER BREATH (Com Duran Duran)
37) HELLO GOODBYE 
38) TAMAREAR (Dudu Lima/Stanley Jordan) 
39) BEAT IT 
40) YANOMANI 
41) SAUDADES DO AVIÃO DA PANAIR
42) TRISTESSE (Com Maria Rita)
43) OS TAMBORES DE MINAS
44) PANIS ANGELICUS
45) FEITO NÓS
46) MARIA TRÊS FILHOS
47) BENKE
48) BEATRIZ
49) TUDO O QUE VOCÊ PODIA SER
50) AMOR DE ÍNDIO
51) BENKE
52) SAN VICENTE
53) FAZENDA
54) CONVERSANDO NO BAR
55) NORWEGIAN WOOD
56) TEIA DE RENDA

MÚSICAS RELEVANTES NÃO VOTADAS

A LUA GIROU
A NOITE DO MEU BEM
AQUELES OLHOS VERDES
ANIMA
ANGELUS (Com Leonardo Brêtas)
AS VÁRIAS PONTAS DE UMA ESTRELA
BEIJO PARTIDO
BRIGAS NUNCA MAIS
CALIX BENTO
CAMINHOS CRUZADOS
CANÇÃO DO SAL
CANTO LATINO
CARTA À REPÚBLICA
CERTAS COISAS
COISAS DA VIDA
COISAS DE MINAS
COMUNHÃO
CORAÇÃO AMERICANO
CORSÁRIO
CRENÇA
CUITELINHO
DOM QUIXOTE
DONA CILA
EU SEI QUE VOU TE AMAR
ESCRAVOS DE JÓ
IRMÃOS CORAGEM
ITAMARANDIBA
KILLING ME SOFTLY WITH HIS SONG
MENINO
MEU MESTRE CORAÇÃO
MILAGRE DOS PEIXES
PAULA E BEBETO
PENSAMENTO
PRA EU PARAR DE ME DOER
MAIOR (Com Dani Black)
MANIA DE VOCÊ  (Com Rita Lee)
MORRO VELHO (Com Fagner)
NAMORADOS NA LUA
NOVENA
NUVEM CIGANA
OLHA
ÓRFÃOS DO PARAÍSO
OUTUBRO
PONTA DE AREIA
PORTAL DA COR
RAÇA (Com Fafá De Belém)
RESPOSTA
RIVER PHOENIX (CARTA A UM JOVEM ATOR)
SAMBA DO AVIÃO
SENTINELA
SUEÑOS CON SERPIENTES (Com Mercedes Sosa)
TOADA (Com Boca Livre)
UM GOSTO DE SOL
VERA CRUZ
VIDRO E CORTE
VOLVER A LOS 17 (Com Mercedes Sosa)




Achei muito legal que "Travessia" tivesse sido o primeiro lugar, pois fez parte do primeiro álbum do cantor e tem uma representatividade muito forte. Aliás, a seleção está muito boa, ponto pra vocês, amigos do TopTulho Musical! Fiquemos agora então com a primeiríssima colocada, direto de 1967!


TRAVESSIA
Milton Nascimento

Quando você foi embora fez-se noite em meu viver
Forte eu sou, mas não tem jeito
Hoje eu tenho que chorar
Minha casa não é minha e nem é meu este lugar
Estou só e não resisto, muito tenho pra falar

Solto a voz nas estradas, já não quero parar
Meu caminho é de pedra, como posso sonhar
Sonho feito de brisa, vento vem terminar
Vou fechar o meu pranto, vou querer me matar

Vou seguindo pela vida me esquecendo de você
Eu não quero mais a morte, tenho muito o que viver
Vou querer amar de novo e se não der não vou sofrer
Já não sonho, hoje faço com meu braço o meu viver

Solto a voz nas estradas, já não quero parar
Meu caminho é de pedra, como posso sonhar
Sonho feito de brisa, vento vem terminar
Vou fechar o meu pranto, vou querer me matar

Vou seguindo pela vida me esquecendo de você
Eu não quero mais a morte, tenho muito o que viver
Vou querer amar de novo e se não der não vou sofrer
Já não sonho, hoje faço com meu braço o meu viver




E a festa só está começando...agora vocês vão conhecer a nova logotipo do...



E já são dois anos de seção, a que, praticamente, comanda o blogue desde então. 

Muita gente estranhou uma seção de paradas sem que houvesse votações dos internautas. Como não disponho de mecanismos de compatibilizar votações, eu pego emprestado de outros, principalmente da RÁDIO MPB FM, que sempre trabalhou em prol da MPB (e estilos não apresentados com frequência nos dias de hoje nas principais mídias, que tem o Sertanejo Universitário como prioridade). 

Esse trabalho que faço, priorizando a MPB e não elencando estilos mais populares, pode ser encarado como preconceito. Bom, todos nós temos nossos preconceitos, mas garanto que não é ele que comanda essa minha iniciativa. Minha função é mostrar que existe vida musical brasileira além dos sucessos mais populares, e, felizmente, recebo muito feedback, muita gente me fala que conheceu determinada música graças ao TopTulho Musical, e isso me deixa muito, muito satisfeito. E é por isso que continuo. Agora vem o ano 3 e pretendo permanecer nessa empreitada tranquilamente!

Mas quem acompanha o TopTulho, sabe que não se trata apenas de uma simples seleção de músicas e disposição das mesmas em vinte posições. O TopTulho se tornou também uma ferramenta para que eu comentasse acontecimentos (não apenas os musicais, as atualidades também) ao longo da respectiva semana, pra que a gente revisitasse os momentos históricos ano a ano por meio do TopTulho Musical Do Passado e, por fim, pra que vocês leitores, lessem informações e críticas minhas a músicos de nosso país. Não sou um crítico especializado, mas, volta e meia a gente tem comentários sobre nossos artistas por essas bandas!




Pensando nisso, resolvi elencar alguns trechinhos do que já falamos sobre nossos artistas nesses dois anos de seção! Pesquise aí, no inventário do TopTulho, o que eu já falei sobre seu artista favorito!


ADRIANA CALCANHOTTO (01/02/15, Edição 09)

E o TopTulho presta agora uma merecida homenagem a Adriana Calcanhotto que, apesar de ter alcançado a vice-liderança de nossa parada, essa semana sofreu um baque imenso: sua esposa Suzana de Moraes (filha mais velha de Vinicius de Moraes) faleceu essa semana, dia 27/01, em decorrência do câncer. 26 anos de parceria e cumplicidade. 

Sempre vi com felicidade esse casal. Não as conhecia, mas imaginava com satisfação que, quem conviveu pelo menos um dia com ambas, se esbaldou em verdadeiras aulas cotidianas de bom gosto litero-musical, inteligência e sensatez. E divertimento, é claro. É impossível imaginar a rotina de casais, mas eu só sentia coisas boas dessa relação. 

O EnTHulho lamenta a partida dessa grande mulher que foi (é) Suzana de Moraes. E envia boas energias também para Adriana. A vida continua, e Suzana foi muito bem recebida, tenham certeza. Quem planta bons frutos nesse plano, só tende a colher os melhores posteriormente. 

ALICE CAYMMI (29/03/15, Edição 17)

E uma das grandes novidades da MPB nesses últimos tempos está com tudo, e vem sendo destaque em todas as mídias: rádio, revistas, sites, premiações, emissoras de video-clipes, críticas especializadas e, claro, aqui no TopTulho Musical. Estamos falando de Alice Caymmi. 

O gene Caymmi ganha mais uma expoente, que faz questão de eternizar a saga dos baianos. Ela, contudo, é carioca. Filha de Danilo Caymmi, neta de Dorival e sobrinha de Nana, o nepotismo não foi óbice pra que seu talento fosse reconhecido. Em 3 anos de carreira, ela já explodiu, fazendo questão de manter a boa MPB viva num infindável mar de funk e sertanejos universitários. 

"Como Vês" foi destaque da minissérie "Felizes Para Sempre", e hoje alcançou a liderança de nossa parada, logo, chegou a hora de conferir o poder dessa cantora e compositora bem sucedida!

ANA CAÑAS (01/11/15, Edição 48)

A imprensa A-MA lançar comparativos toda vez que surge alguma novidade na música brasileira. Adriana Calcanhotto foi bastante equiparada a Elis Regina quando surgiu, por exemplo. No caso de Ana Cañas, as principais comparações foi com a também cantora e compositora Marisa Monte. Mas Ana se desamarrou logo do rótulo e conquistou a atenção e devoção de artistas como Chico Buarque, Caetano Veloso e do então Ministro da Cultura Gilberto Gil, em 2007. Remando contra a maré, do tão elogiado primeiro disco "Amor e Caos", lançou o experimental e excelente "Hein?" em 2009. 

Flertou com o francês em 2012, quando lançou o sedutor "Volta" e, atualmente, está com o projeto "Tô Na Vida", seu álbum mais autoral e visceral, de onde pertence a faixa "Hoje Nunca Mais", já em oito semanas aqui no TopTulho, e que está subindo cada vez mais! 

Essa é a nova safra da MPB: sem medo de arriscar e sem só apostar nas fórmulas consagradas e óbvias!

ANA CAROLINA (05/07/15. Edição 31)

O fato da mineira Ana Carolina mudar pouco seu estilo de música é encarado sob dois enfoques: muitos enxergam como uma qualidade - ela não muda, ela é firme com sua marca registrada, que são as canções emocionas cantadas (e gritadas) com vigor não se rendendo a experimentações que a demanda artística musical "exige". Outros pensam exatamente o contrário: que ela não se reinventa, não sai de sua zona de conforto, perdendo, assim, inúmeras oportunidades de crescer como artista. 

De que face da moeda você está? Que Ana você quer? Seja como for, a Ana atual está nos primeiros lugares de inúmeras paradas - inclusive da Rádio MPB FM, com essa emocional canção (Coração Selvagem, sua releitura intensa para a letra de Belchior). No TopTulho, ela comanda nossa compilação pela segunda semana consecutiva. Podemos concluir que a fórmula, então, dá certo? Em time que está ganhando não se mexe? 

Conjecturas da MPB. Ajudem-me! ;)

BABY DO BRASIL, SÉRGIO MENDES E ROGÉRIO FLAUSINO (07/08/16 - Edição 87)

SE LIGAÊ NA REFLEXÃO: 

A despeito de grande parte da população não estar em espírito olímpico (principalmente pelo fato de o país estar vivendo, nesse momento, um Golpe de Estado Ferrado), essa música dá uma boa maquiada nos ânimos, e nos faz pensar,por um minuto pelo menos, que tudo está bem e foca na esperança - essa danada que, esteja o que esteja acontecendo, nunca pode se perder de vista!! 

Uma canção pra cima, feliz e animada, que está estourada nas rádios de todo o país. Na coletiva de imprensa, Baby Do Brasil sintetizou o projeto: 

"Três pessoas distintas para atingir um Brasil que é altamente criativo e receptivo. Garra, ousadia, musicalidade e alegria. Entramos nesse momento gritando ‘Se Ligaê’ porque agora é o momento da alegria em cima de qualquer problema. Alegria para a galera!” 

E é com essa alegria, momentânea, fingida, utópica ou verdadeira, que vocês ficam hoje!

CAETANO VELOSO (27/09/15, Edição 43)

Alguns torcem o nariz pra seu jeito de agora, mais "soberbo" ou sem tanta paciência. Outros, contudo, constatam: o cara tem uma opinião que vale ouro. Passou pelo crivo de Caetano, pode esperar que é coisa boa. Abençoa novatos, opina com propriedade sobre trabalhos de colegas. É ser chique, ser cult, é demonstração de nível elevado mostrar que gosta do compositor e que acata suas opiniões como fiéis seguidores da escola 'boa cultura de ser", tendo o baiano como referência intelectual. Uma espécie de religião Caetano que, como as doutrinas religiosas, provoca polêmicas e não consegue fidelizar todo mundo, mas que ainda assim tenta, de tempos em tempos, convocar mais seguidores...

CASUARINA (15/03/15, Edição 15)

Falaremos agora da banda carioca CASUARINA, que, nessa edição, alcançou a vice-liderança da parada. 

Surgidos em 2001, eles vem traçando uma trajetória bem ascendente, defendendo o samba com bastante dignidade. Olhando a estampa das figuras, você não dá nada: pelo contrário, aposta que são um grupo de pagode universitário, um Soweto da vida, mas eles são realmente bons. 

Seu ápice, na minha humilde opinião, se deu mesmo com o disco que lançaram em 2014, "No Passo De Caymmi", uma merecida homenagem ao centenário deste que é um dos maiores artistas da música brasileira. Diga-se: com muito talento e entrega! 

Fiquemos, agora com "A Vizinha Do Lado", sucesso de Caymmi, já regravado por muita gente boa (como Roberta Sá, por exemplo), mas, aqui, na releitura do Casuarina. 

CAZUZA (26/07/15, Edição 34)

"Com a descoberta de sua condição de soropositivo, claro, o sentimento de fim permanente de festa, num primeiro momento, lhe pareceu inevitável. Mas Cazuza conseguiu, como pouco se viu no mundo musical, transformar aquilo que seria sua entrega definitiva/sentença de morte em poesia! O sofrimento foi moldado em mensagens diretas, e sua obra encerrou-se com o mesmo brilho dos olhos do garoto exagerado que o país inteiro passou a cultuar. Hoje, 20 anos depois, percebemos que, cada tempo que passa, sua obra consegue se manter importante e sempre reverenciada..."



CHICO BUARQUE (25/10/15, Edição 47)


Chico Buarque é aquele cara que a gente TEM que sentar num bar, um dia, e só ouvir.
Contador de excelentes históricas, rimista rico e perfeito e profundo conhecedor da alma humana (principalmente feminina) e gozando de plena lucidez em seus posicionamentos políticos, ele sofreu, há um ano, inúmeros ataques da chamada Direita Reacionária Brasileira, que o ofendeu porque ele declarou seu voto a Dilma Rousseff. Na verdade, a oposição queria mesmo era ter um cara como o Chico do lado deles, e não da petista!


DANIELA MERCURY (06/03/16 - Edição 65)

Daniela Mercury dimensionou sua trajetória para outro patamar quando se assumiu lésbica: segundo críticos e até fãs da moça. a vida pessoal parece ter ganhado mais importância, e a música, ficado em segundo plano...fazendo a Pires, "não posso opinar", porém um fato: o samba-balada "Sem Argumento" tem estado nas primeiras posições das grandes paradas de MPB do Brasil, e versa, justamente, sobre sua relação conjugal com Malu Verçosa. 

DIOGO NOGUEIRA (17/01/16 - Edição 58)

"Eu costumo criticar duramente os nepotismos artísticos, mas sei bem dar o braço a torcer quando alguns conseguem trilhar bem suas trajetórias - sabendo manter o elo genético enquanto inevitável, mas também arriscando todas as fichas na busca da independência. Diogo conseguiu fazer isso muito bem, com aquilo que falta à grande parte dos novos artistas: sair da zona do conforto e ter coragem de arriscar!"

DJAVAN (13/12/15 - Edição 54)


Meu conterrâneo Djavan chega a seu 23º disco de carreira, super em forma, e cada vez mais criativo. "Vidas Pra Contar", lançado em Novembro, já nos presenteou com um single que ficou inúmeras semanas em primeiro lugar em plataformas especializadas em MPB. Afastando os boatos de que estava com uma doença grave, nosso homenageado esbanja saúde e fôlego, provando que tem muita estrada pela frente, e muito mais "vida pra contar"... 

Pela segunda semana consecutiva em primeiro lugar (e há dez no TopTulho), chegou a hora de embarcarmos no ritmo djavaniano, que, decididamente, não é um bolero...


ELBA RAMALHO (26/06/16 - Edição 81)

E Junho é mês de alegria! 

Alegria contagiante da esfuziante e esganiçada cantora Elba Ramalho, a artista do mês! 

Quando começou a fazer sucesso, nos primórdios da década de 80, Elba era uma figura atípica e curiosa. A voz estridente e com sotaque carregadíssimo a fez despertar bastante atenção em excessivas apresentações midiáticas (dentre as quais, as participações nos programas de auditório, tipo o Chacrinha). Tornou-se fácil fácil figura única no mundo do espetáculo. Não por acaso, em 1983 foi considerada a melhor cantora do Brasil, em publicação da Revista Veja. E daí não parou: traçou uma bela e sólida carreira, muito além de cordéis e ritmos puramente nordestinos (baião, forró, maracatu, cirandas...), pois, destacando-a deste panorama, Elba passou também a flertar com a pura MPB, trazendo para o cancioneiro brasileiro interpretações soberbas para grandes clássicos de cultuados compositores. 

Os jornalistas e a imprensa em geral costumam atribuir funções variadas no cenário da MPB. A de Elba, inevitavelmente, lhe faz carregar em si o título de "rainha nordestina", afinal, surgiu para ser devota de Luiz Gonzaga, Nando Cordel, Dominguinhos e muitos outros mestres, assim como também pode ser considerada contemporânea da mesma safra de Geraldo Azevedo, Alceu Valença, Zé Ramalho e muitos outros. Não por acaso, criou, ao lado dos últimos citados, uma série de encontros musicais que marcou a música popular brasileira, justamente os chamados "Grande Encontros", na década de 90. A música nordestina não seria a mesma sem a delicadeza e presença potencial de Elba Ramalho para representar seus inúmeros clássicos!



ELIS REGINA (31/01/16 - Edição 60)

Em discussão sobre MPB certa vez com um colega, ele me fez a seguinte observação: 

"Aposto que se Elis fosse viva, ela teria embregado na carreira pra se tornar mais popular. Teria "Michael Sullivanado" igual à Gal!" 

Lógico que discordei. Discordei por afetividade mesmo. Posso até estar enganado, mas meu lado admirador e fã incondicional de Elis Regina jamais imaginaria que ela se venderia. na contramão de minha tese de defesa, vão as declarações da própria, ao gravar "Romaria", sobre o preconceito que as pessoas tinham por ela ter feito uma gravação tão popular. Logo ela, tão "elite" e refinada...ocorre que Elis Regina transpõe no que grava uma plenitude tamanha que se assemelha a uma oração. Revendo meus conceitos no referido debate musical, hoje penso que, mesmo se tivesse se popularizado mais nos dias de hoje, faria com uma dignidade tão grande que deixaria no chinelo tantas outras que se perderam no meio de campo de suas carreiras (Fafá, Simone, a própria Gal...). 

Elis é Elis. Sem mais...

EMICIDA (20/09/15, Edição 42)

Já super influente no mundo do rap brasileiro e na MPB, EMICIDA, ou melhor, Leandro Roque de Oliveira vem chamando atenção do público underground, ultrapassando barreiras e avançando em terrenos, digamos, mais populares. O rapper (cuja alcunha une Homicida e MC) começou com a internet como propulsor e já garantiu aparições maiores como no VMB de 2011, no Esquenta de Regina Casé e no Altas Horas. 

Conquistou todos com suas letras cheias de verdades e clipes repletos de "escancarações". E a MPB já se rendeu, prova de que, uma das músicas do rapaz que está aqui em nossa parada é em parceria com Vanessa da Mata. 

Mas hoje é dia de festejar o clipe que lhe rendeu grande visibilidade neste 2015, e que está em 4º lugar de nosso TopTulho (e, também, já há dez semanas aqui). a a letra fodástica revela o preconceito racial e cruel, poucas vezes tão explícito como aqui. Depois dizem que não há inteligência no rap brasileiro!!

FILIPE CATTO (20/11/16 - Edição 102)

Como não podia deixar de ser, a mídia brasileira sempre quer associar um artista que surge a outro já consagrado. Não vai deixar de fazer isso nunca! "Fulano é o novo beltrano", "Ciclano é o sucessor natural de escaleno" e por aí vai... 

Quando Filipe Catto surgiu, foi batata: estamos diante do novo Ney Matogrosso! Sua voz de contratenor e sua postura delicada fez com que a associação camaleônica se fizesse de imediato, porém, eu acho que ele tem muito mais elementos do saudoso Milton Carlos do que com o Ney! 

Cantor, compositor e instrumentista do Rio Grande Do Sul (Lajeado) e contando 29 anos, o garoto se dá muito bem na MPB, passeando pelo Jazz, Samba, Pop e até pelo Tango! Aqui, ele aparece pela primeira vez na seção para cantar a balada "Depois De Amanhã", pertencente ao disco "Tomada" (2015), que é uma parceria sua com o super Paulinho Moska!


GAL COSTA (30/08/15, Edição 39)

A Gal é meio que unanimidade nos fãs de música brasileira. Não é apenas discípula de João Gilberto ou voz cristalina: é experimentalismo, é a competência de conseguir sempre o maior destaque nas mais diversas fases de sua carreira - Tropicália, carnavalesca, brega, bossa, sofisticação e até eletrônica! Não foi intencional, mas seu cinquentenário foi muito bem comemorado com o magnífico "ESTRATOSFÉRICA", lançado no primeiro semestre, que já se tornou um dos melhores de sua carreira. Parar? Mas neeeem tão cedo!

GILBERTO GIL (30/10/16 - Edição 99)

Falar do Gil...o que poderíamos dizer? Ao lado de Caetano Veloso (e, por isso mesmo muitas vezes confundido - desmerecidamente - como sua sombra. Acho isso equivocado. Há talentos exorbitantes em ambos; Há muita poesia e lirismo na carreira dos dois, e o Gil ainda tem a ginga adicional que tanto lhe é característica), ele foi um dos baluartes do movimento Tropicália, que misturava os elementos da indústria cultural e os materiais da tradição brasileira! 

Reconhecido mundialmente, principalmente por aliar poesia e crítica social em suas canções, Gil teve grandes momentos na nossa MPB, e sua fama internacional lhe rendeu inclusive um encontro com Jimmy Cliff em 1980, e um cover muito elogiado de "No Woman No Cry', do Bob Marley. Seus posicionamentos políticos de Esquerda ainda lhe credenciaram o cargo de Ministro Da Cultura no Governo Lula, nos anos 2000. 

Agora o papo agora é em relação a este que vos fala: Gil sempre esteve presente na minha existência, desde os primórdios, quando ouvia, mediante meu pai, sua voz gostosa e tão próxima à nossa realidade nordestina. Foi identificação de imediato, e simpatia que dura até hoje! Mais ainda quando via seu sorrisão. Ele sempre pareceu estar de bem com a vida, mesmo quando entoava, de forma mais enérgica, sua voz cantando contra as mazelas do mundo. Quer coisa mais linda que "Madalena" (minha música preferida), uma forma bem ilustrativa e lúdica de mostrar a triste realidade da pobreza e da fome?


Eu quero MUITO, MUITO, que ele saia logo dessa crise de saúde e retorne, pra continuar nos encantando com seu talento e entrega musical!


GONZAGUINHA (04/09/16 - Edição 90)

Luiz Gonzaga dizia que seu filho, Luiz Gonzaga Junior (o nosso Gonzaguinha), fazia "música de comunista". Esse foi apenas um dos ponteiros no qual pai e filho conflitavam. Com todo o respeito ao Rei do Baião, a quem também ouço desde moleque (graças à infância nordestina, musical forte e atuante, e às serestas de meu avô e pai, dois grandes violeiros), eu fico com o filho. 

O sensível eu-lírico feminino (hoje em dia, baby, eu-lírico unissex...mas naquela época, a letra apaixonada que fazia - com tamanha sensibilidade e entrega, era mais afeita às mulheres), as composições fortes, contundentes, patrióticas, cercadas de críticas político-sociais, são minha praia, E minha relação com Gonzaguinha - se flor buscar na raiz, é bem mais antiga. Lembro de meu pai colocando "Lindo Lago Do Amor' na fita cassete do carro e eu ficando extasiado com aquela gaita e aquela voz que sempre me foi tão familiar, tão minha...E o hino "O Que É, O Que É", então? Executado à exaustão nas rádios dos meus 3, 4 anos de idade, me causava coisa boa. Alia-se ao fato dele parecer fisicamente com meu velho...Como já ouvi dizer (não lembro quem), esses mistérios musicais da afinidade são poderosos... 

Bom, eu cresci e minha relação de identidade com Gonzaguinha me acompanhou. Descobri composições maravilhosas suas na voz de grandes interpretes - principalmente femininas, e fiquei extasiado e satisfeito por serem dele. 

Um cara que eu posso dizer, com toda convicção: admiro PRA CARALHO!!


IVETE SANGALO (16/10/16 - Edição 97)

Uma notícia que saiu ontem (22/10) nos sites de fofoca: Ivete Sangalo estaria causando a ira de seus vizinhos por receber em casa crianças carentes. Quando li a notícia, a definição sobre a cantora, pra mim, estava consagrada: uma pessoa linda, de coração muito bom, cidadã exemplar que está sempre disposta a fazer o bem, nem que faça barulho por causa disso e incomode muita gente. 

Ivete nunca me conquistou por seu repertório, e sim pelo talento vocal, pelo carisma e divertimento. É aquela mulher que MUITA GENTE queria sentar pra bater um papo delicioso, regado a música e gargalhadas. É a nossa pop star - a verdadeira, pois tem umas cópias aí, viu? Que não conseguem nem tirar Leitte de pedra... :P 

Mais uma vez dominando a parada (tá virando freguesa, hein?), fiquemos, então, uma vez mais com o ar de sua graça. Cada vez Mais e Mais! ;) 

(Faixa que está em seu disco lançado este ano, "Acústico Em Trancoso".)

JOHNNY HOOKER (06/12/15, Edição 53)

Ao longo do ano, Johnny Hooker teve um expressão muito forte, em vários lugares - rádios, shows, televisão, entrevistas, roteiro de curta metragem, veículos escritos...! Vamos contabilizar seu toque de midas: 

O disco "Eu Vou Fazer Uma Macumba Pra Te Amarrar, Maldito!" foi lançado no dia 22 de Fevereiro desse ano, tendo uma boa repercussão nas mídias musicais. O disco foi 1º lugar geral no Deezer e 14º lugar geral no Itunes. 

Nos dias posteriores a exibição da música "Amor Marginal" na novela "Babilônia", o álbum chegou a figurar no topo da parada MPB do Itunes e "Amor Marginal" chegou a 11º lugar geral. 

Johnny ganhou o 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria "Melhor Cantor", pelo trabalho em seu álbum "Eu Vou Fazer Uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!" Durante a premiação, que ocorreu no dia 10 de Junho de 2015, Johnny ainda cantou "Lama" ao lado de Alcione e Letícia Sabatella para homenagear Maria Bethânia. 

Em 4 de Julho de 2015 participou do programa "Altas Horas", de Serginho Groismancom uma performance da música "Alma Sebosa", sua participação levou a tag "Johnny Hooker" a entrar nos trending topics do Twitter no Brasil. 

No dia 11 de Agosto, Johnny participou do Encontro com Fátima Bernardes. No programa cantou "Amor Marginal", "Alma Sebosa" e ainda cantou uma versão especial de "Garçom", hit na voz de Reginaldo Rossi, em homenagem ao dia do garçom. Sua participação no programa levou a tag "Johnny Hooker" a entrar nos trending topics do Twitter no Brasil pela segunda vez. 

No dia 18 de Agosto Johnny foi um dos entrevistados do Programa do Jô a tag "Johnny Hooker" entrou subsequentemente a exibição do programa nos trending topics do Twitter no Brasil pela terceira vez. 

UFA! 

Aqui no TopTulho, o cara teve 4 singles: Alma Sebosa, Volta, Wicked Game (com Thiago Pethit) e, atualmente, Amor Marginal! Ele, sem dúvidas, é o artista de 2015! 

'Amor Marginal" é uma música de trabalho muito forte, com letra dúbia, que insinua um amor - seja hetero ou homossexual, proibido. Já está há 12 semanas aqui conosco, e muito dessa força é seu clipe poderoso, lançado em 20 de Setembro e que, só na primeira semana, gerou mais de 130 mil visualizações!

JORGE VERCILO (12/07/15. Edição 32)

Na contramão de seu sucesso, Jorge Vercilo sempre foi duramente criticado (e comparado a Djavan). Não sou fã do cantor, mas enxergo elementos muito peculiares seus em suas composições. Gosto da veia mais "pop", com letras de qualidade... 

O fato de seu timbre vocal ser parecido com o do alagoano não lhe faz exatamente uma cópia...seria o mesmo que comparar Filipe Catto a Ney Matogrosso, por exemplo: água e vinho. Jorge e Filipe ão água, diga-se de passagem :P 

O fato é que o Jorge está de volta às paradas, com esse "reggae-pop" vibrante (bem mais popular que o costume, pontue-se), que aparece hoje aqui em nosso EnTHulho Musical!

JOTA QUEST E ANITTA (14/02/16, Edição 62)

O Jota Quest - que, a despeito de não gostar deles, sempre defendi eles aqui, no sentido de serem uma banda de pop rock remanescente, que se manteve por tantos anos sem cair na popularidade e isso sim é um ato admirável - dessa vez resolveu apelar para o São Nile Rodgers, produtor internacional e guitarrista. Unindo-se à Anitta, que também odeio, mas que é a principal representante da música pop brasileira na atualidade (infelizmente), eles ousaram pra caramba e fizeram desse "Blecaute" um dos hinos desse verão! 

Tudo bem produzido, arrumadinho e comercial. Falta alma, mas satisfaz os gostos menos exigentes :)

KID ABELHA (29/05/16 - Edição 77)

Em Abril desse ano foi anunciado o término de uma das bandas mais representativas do pop brasileiro. Por meio do rock, eles se comunicavam com todas as pessoas, de todas as classes sociais, com bom humor, pitadas de sensualidade, alegria, romantismo e muita irreverência, 

E muito sucesso também! Talvez a maior "hitmaker" brazuca, o que fez com que os mais puristas torcessem o nariz pro capitalismo exacerbado do grupo, o que, na minha humilde opinião, não lhes descredencia, pois eu enxerguei muita alma no trabalho deles em toda a trajetória, nesses 34 anos (minha idade) de estrada. Foram 12 discos de estúdio e três ao vivo, e inúmeros sucessos radiofônicos, videoclipes que foram exibidos à exaustão na MTV e algumas polêmicas (as brigas entre Paula Toller e Leoni, no início de carreira, tornaram-se homéricas. Após elas, Paula, que permaneceu na banda, se isolou da imprensa e raramente concedeu entrevistas. Alegou que, se abrisse uma fresta, isso se vampirizaria a ponto de sugar toda sua energia, que preferia depositar em sua carreira). 

Mesmo Paula sendo a alma do "Kid", George Israel e Bruno Fortunato coadjuvaram com maestria, fazendo com que fossem indispensáveis absolutos. Leoni, que era baixista nos primeiros anos e principal compositor, firmou-se em carreira solo (após alguns anos com os Heróis Da Resistência), fazendo sucesso até hoje. 

A "decisão suave" do término do Kid partiu da própria Paula, que segue em carreira solo bastante semelhante à que tinha no Kid. Tudo amigável e ameno, como o som deles!



LENINE (02/08/15, Edição 35)

Lançado em Abril deste ano, "Carbono" é o oitavo disco de estúdio do pernambucano Lenine, um dos grandes nomes da MPB, que teve projeção nacional na década de 90. 

O nome do disco pode até nos remeter (com razão) a rascunho, uma vez que foi realizado em tempo recorde (dois meses), e o intuito de Lenine era ter mais músicas para mesclar com as antigas em sua nova turnê. Para quem tem uma facilidade incrível de invencionismo e uma criatividade rara, não deve lá ter sido tão difícil. 

"Simples Assim", seu single de trabalho, é responsável por regressar Lenine às paradas, alcançando, inclusive, a primeira posição do nosso TopTulho. É com essa bela música que vocês ficam, agora! :)

MALTA (14/12/14, Edição 03)

Voltando ao Malta, eu não consigo ser fã. Pra mim é como um cachorro-quente sem salsicha, parece-me que falta algo. Está excessivamente comercial e pouco artístico. Vamos ver se ousam um pouco mais nos próximos lançamentos. Vamos dar um desconto à banda vencedora do programa "Superstar" (uma vez que conseguiram um grande feito: ao contrário dos vencedores de outros reality shows musicais como Fama, Ídolos e The Voice, eles FAZEM sucesso!).

MARCELO JENECI (09/10/16 - Edição 96)

Com o Jeneci, minha identificação foi imediata. Tanto no lirismo como na timidez! Adoro gente tímida que cresce quando tem que mostrar serviço profissional, e quando me deparei com o Marcelo, nossa, fiquei muito feliz! Já se tornou fácil um dos novos queridinhos meus da MPB! 

Depois dessa declaração, vou deixar vocês curtirem sua linda versão de "Veja Margarida", do Geraldo Azevedo, que integrou a trilha da finalizada novela "Velho Chico", e que já está há dez semanas aqui no TopTulho! 

MALLU MAGALHÃES (06/11/16 - Edição 100)

Chegou a hora de falarmos dela, Maria Luiza de Arruda Botelho Pereira de Magalhães, ou simplesmente Mallu Magalhães, essa linda paulistana de 26 anos que foi mamãe no fim do ano passado, junto ao "papai" musical Marcelo Camelo! Ê criança iluminada essa, hein? Com dois pais tão musicais e do bem! 

"Casa Pronta', sem exagero algum, é uma das minhas músicas preferidas de 2016! E digo mais: pra você se sentir bem, tem que ouvir essa canção pelo menos uma vez ao dia! Alia a suavidade da voz de Mallu a uma meia samba bossa que diz tudo o que a gente quer dizer num relacionamento. uma música pra se sentir em casa, tamanha a identificação que gera! É com ela que a gente ilustra esse centésimo TopTulho a partir de agora!


MARIA BETHÂNIA (28/06/15 - Edição 30) 

"Uma perfeita divindade, daquelas que conseguem transformar em ouro tudo aquilo o que tocam (no caso, interpretam), Bethânia encontra-se, hoje, num patamar que provavelmente nenhum artista brasileiro conseguirá alcançar. Insuperável até a si própria. Sua voz impecável (imutável até quando canta deitada no chão do palco) e a capacidade de transmitir qualquer tipo de emoção tornam-lhe justo o título de maior cantora brasileira. Recorde de vendagens? De canções em novelas? Referência para tantos? Vencedora de tantos festivais de música? Ícone musical num país com tantos artistas de talento? Ela não precisava de nenhum rótulo...Aliás, não precisa de mais nada! Apenas cantar, e ser ouvida. Emocionar e nos embalar junto.

MARIA GADÚ (16/08/15, Edição 37)

E hoje o TopTulho vai destacar Mayra Corrêa Aygadoux. Barulho de grilos? Então vamos traduzir: a homenageada de hoje é ninguém menos que a super Maria Gadú, cantora que surgiu no fim da década de 2000, e que já foi indicada ao Grammy duas vezes, reflexo de sua voz poderosa, em canções próprias e interpretações de compositores consagrados! 

Depois de um jejum de 4 anos sem material inédito, neste 2015 a cantora nos presenteia com o ótimo álbum "Guelã", que flerta com experimentalismo e com musicalidade africana. A carreira da cantora estava precisando exatamente de um disco assim, digno de nota, pra que se consagrasse no cenário musical brasileiro, fugindo do (até então) lugar comum que a cercava. 

E já há três meses no TopTulho Musical, vamos agora ouvir a excelente "Obloco", de sua autoria!

MARIA RITA (08/02/15 - Edição 10)

E a Maria Rita, hein? Há tempos que está aqui no TopTulho, com essa linda canção (que a cada semana sobre mais um pouco) com a qual compartilha conosco tudo o que aprendeu com a mãe Elis. As coisas boas, o talento...a artista vem crescendo a cada trabalho, apesar de alguns fãs preferirem sua postura de início de carreira. 

Da minha parte, eu enxergo amadurecimento profissional, tão grande que me fez virar fã (eu não era, conforme assumi diversas vezes aqui no EnTHulho Musical). Decididamente, a música opera milagres!

MARINA LIMA (25/09/16 - Edição 94)

"Diva, essa é a palavra. Marina transformou-se numa espécie de entidade da música brasileira - admirada pelo perfil roqueiro que ostentou na década de 80, e também pela versatilidade de ritmos e vertentes que demonstrou em sua extensa carreira. Não por acaso, a despeito das opiniões pouco lisonjeiras e que tentam denegri-la ou ofuscá-la por conta de "percalços" na trajetória, a quantidade de fãs fiéis e seguidores permanece intacta. Melhor: Marina adquire cada vez mais admiradores interessados em saber os motivos do fascínio e brilho que a fez se tornar o ícone que é. 

E quais são esses atributos? Eu acredito que a voz (roquinha, indefectível para suas canções), a postura "cool" - que agrada tanto os sedentos de rock brasileiro, como Mpbistas conservadores e quem é ávido por novidades musicais (o disco "Climax" provocou desconforto e admiração até do mais cri-cri dos críticos), a sensualidade e a verdade com a qual se exprime (composições e interpretações). Como boa virginiana, ela é transparente nas letras - e se não faz de forma óbvia, vale-se de metáforas perfeitas e entrelinhas eficazes. A tímida do início de carreira sequer imaginava no furacão musical que se tornaria nos anos posteriores. "

MARISA MONTE (24/04/16 - Edição 72)

Lembro que conheci MM num show televisionado, na finada Rede Manchete, e minhas memórias infantis fixaram especialmente em seu biotipo: morena muito branca, com cabelos longos e cacheados - meu biotipo preferido de mulheres!! 

Mas fui conhecendo sua obra aos poucos e o auge, pra mim, foi o a obtenção dos cds "Mais"(meu preferido) e o "Verde, Anil, Amarelo, Cor-De-Rosa e Carvão", obras primas insuperáveis da cantora e compositora. E MM se tornou fácil a minha primeira diva, aquela que sempre vai ter um cantinho especialmente reservado num pedestal! 

A união só poderia ser boa: uma voz linda, composições herméticas e sisudas, interpretações magistrais. Seu gesticular, pra mim, é único dentre as cantoras de MPB. 

Um lado que não curto: seus hiatos. Sim, pruma boa obra sair, ela deve ser lapidada ao máximo, mas MM leva isso muito ao pé da letra e a gente espera, espera...e quando vem uma obra que não corresponde à ampliadíssima expectativa, a gente se frustra muito mais! Mas tá tudo bem. Ela pode tudo, e a magnitude está a seu favor!


MART'NÁLIA (21/06/15, Edição 29)

Só este ano, já é a terceira música de Mart'nália aqui conosco (as anteriores foram "Peço a Deus" e "Tem Juízo, Mas Não Usa"). O ano "Mart'nália" segue firme e forte, com sua presença marcante e diária no horário nobre brasileiro: "Pra Que Chorar", esse lindo samba que abre a novela das oito global, Babilônia. "É bom entrar na sala dos outros sem convite",brinca a sambista sorridente! 

A despeito da trama que não empolgou, a música segue cada vez mais pedida nas rádios, e hoje alcança a vice-liderança do EnTHulho Musical. Um verdadeiro convite à gafieira, com uma letra bem positiva de autoria de Baden Powell e Vinicius de Moraes!

MONIQUE KESSOUS (24/07/16 - Edição 85)


A bela Monique Kessous despontou no fim da década anterior, e já coleciona hits variados, sempre com suavidade e a voz firme pra pontuá-los. As comparações com Marisa Montederam uma trégua e a gata anda ousando... 

Seu novo disco "Dentro De Mim Cabe o Mundo" está repleto de arranjos melódicos, e o atual single, "Eu Sem Você" está tocando bem nas principais rádios especializadas. Ela já pintou aqui pelo TopTulho, pra quem não lembra, a ousada parceria com Ney Matogrosso("Meu Papo É Reto") ficou várias semanas na parada ano passado. 

Cantoras (e compositoras) bonitas costumam ser hostilizadas, mas é puro preconceito. Monique é talentosa, versátil ...e LINDA!


MOSKA (19/06/16 - Edição 80)

O formidável Moska é um dos meus artistas prediletos, e um que faço questão de acompanhar passo a passo na carreira. 

Ano passado, lançou um disco lindo ao lado do também elogiado Fito Paez. E, nesse 2016, o projeto que está pondo em prática é o show "Violoz", só com voz e violão. Sempre adepto de performances com bandas, dessa vez Paulinho apostou no próprio taco e vem sendo bastante elogiado pela crítica com esse novo formato. A "banda", por assim dizer, é constituída de vários de seus violões prediletos, escolhidos a dedo para cada música. No repertório, sucessos de carreira pra se comunicar lindamente com a plateia. E uma inédita que já é muito sucesso. 

Que inédita é essa? É a que está hoje em primeiro lugar aqui no TopTulho, e que integrA a trilha da novela "Eta Mundo Bom", de Walcyr Carrasco, e que, não por acaso, é o lema positivo do protagonista Candinho, vivido pelo ator Sérgio Guinzé. E é a que você confere...AGORA!!


NANDO REIS (18/09/16 - Edição 93)

15 anos depois do lançamento da música (no disco "A Melhor Banda Dos Últimos Tempos Da Última Semana, dos Titãs, em 2001), Nando Reis homenageia sua banda afetiva com essa regravação, ao lado de seus filhos, Sebastião (21 anos) e Theodoro (30 anos), que tocam juntos na banda "2 Reis". "A música foi escrita pro Sebastião, que era meio mau humorado" conta Vânia, mãe do garoto. 

A versão, que tem um arranjo mais lento, entrou pra trilha da encerrada novela "Eta Mundo Bom", e está hoje em primeiríssimo lugar no TopTulho. Vamos, então, com ela!

NEY MATOGROSSO (28/08/16 - Edição 64)


Com mais de cinquenta anos de carreira e inúmeros discos, Ney de Souza Pereira é daqueles artistas que dividem opiniões radicalmente: ou muito odeiam, ou muito amam. Performático (herdou o dom quando se aventurou como ator), ele criou uma maneira totalmente peculiar de se apresentar: criando personagens para determinada música, disco ou espetáculo. Falando em espetáculos, o cara tem inúmeros shows conceituadíssimos, bem sucedidos de público e crítica. Detém um verdadeiro ritual de preparação para suas apresentações - fazendo o elo entre a pessoa, o artista e a criação. Figurino inusitado, mudança de roupas e até apresentações sem roupa! O perfeito contraste nos anos 70, quando a censura pegava fogo em terras tupiniquins. 

Ele ainda é versátil: não se faz de rogado ao cantar rock (na sua fase "Secos e Molhados"), mambo, merengue, Mpb, forró e tudo o que seu coração que pulsa sangue latino e ousado permitir. Ousadia, aliás, é seu forte! Percebe-se sua sinceridade exacerbada nas (poucas) entrevistas que concede, não economizando verbos em aspectos de sua vida (ele, por exemplo, não é sucinto ao falar de seu relacionamento com Cazuza e também ao confirmar que ainda usa drogas). 

Dentre os detratores, existem aqueles que ridicularizam seu jeito de se apresentar - sobretudo os machistas, que não admitem que um homem se apresente rebolando daquela maneira. Pra eles, Ney já foi bem mais direto no deboche com músicas-alfinetadas como "Homem com H", ou " Calúnias (Telma eu não sou gay)". 

Assim é o Mr. Matogrosso. Uma bagagem gigantesca num artista super versátil. As recentes posturas reacionárias do rapaz não tem me agradado, mas é um direito dele como cidadão...enfim...


PAULA TOLLER (05/04/15, Edição 18)

E hoje vamos falar da vampira. Sim, pois só sendo uma pra estar totalmente em forma e cada vez mais bonita. É o vinho da música brasileira: cinquentona e MELHOR AINDA, em todos os aspectos. 

Paulinha entendeu bem sua função no pop brasileiro e "transbordou" seu talento, lançando ano passado um disco que conquistou mídia e público (o que é um feito TREMENDO, diga-se). Põe Anittas e popozudas em seu devido lugar, mostrando que há vida inteligente na música popular. Melhor: ela "solta a franga", sem vulgaridade e com estilo. Rainha! 

Para quem não conhece o disco "Transbordada" (2014), fica, então, a dica do EnTHulho Musical, cuja faixa título sobe cada vez mais em nossa parada. Fiquemos com ela!

PITTY (14/06/15, Edição 28)

Pitty é uma roqueira que amadureceu bastante, em todos os aspectos. Musicalmente, já faz 12 anos do lançamento de seu primeiro álbum-solo, "Admirável Chip Novo", que tinha letras bem mais simples; hoje ela se encontra num momento de aspereza e profundidade, que é refletido diretamente nas suas composições e interpretações. Outrossim, está também cada vez mais bonita! 

Não poderia deixar de citar, também, seu engajamento político-social que tem saltado aos olhos. Bom senso e lucidez, numa artista que gradativamente admiro mais e mais. É com ela que sublinhamos o TopTulho de hoje!

RAUL SEIXAS (31/07/16 - Edição 86)

"Alguém aqui, como eu, já se imaginou encontrando Raul Seixas num bar? 

Minha imaginação aguça sempre essa hipótese. Diante de tudo o que sei sobre o mestre - sua "simplicidade excêntrica" como pessoa e vocação pra "desagradar" o sistema, seja pelas críticas de seus versos ou até pelo seu jeito de vestir, eu sempre idealizei o Raul como um companheiro desses de bar, com quem sempre valerá a pena tomar umas cervejas e trocar idéias inteligentes e proveitosas. Afinal, é assim que eu enxergo os grandes mestres: pessoas que não ostentam a grandiosidade e são bem mais humanas do que se imagina... 

Mestres em bares existem aos montes. E "famosos disfarçados de mortais" mais ainda! Sempre pensei no Raul como um professor de faculdade que, ao término da aula, sai com seus alunos para o barzinho e c(a)ontava histórias emblemáticas sobre o sistema, a sociedade e a alma humana. 

Dono de um legado músical extraordinário e considerados por muitos o "pai do rock brasileiro", Raul é muito mais do que lhe adjetivam. Trouxe, além de composições marcantes, uma importantíssima reflexão para a sociedade da época - especificadamente para os fãs de boa música nas décadas de 70 e 80. E, como não poderia deixar de ser, também causou reações adversas e foi, em dado momento, taxado de "bruxo maldito". Muita gente se assustava com a figura do Raul, quando aparecia na tevê dando seu recado e também diante de todas as histórias que rondeavam sua carreira (pacto com diabo? mensagens subliminares maquiavélicas em suas músicas? será tudo verdade???). Mas o principal está eternizado - é incrível e maravilhosa a força que o cara teve, e até hoje sua obra é reverenciada com louvor não apenas pelos contemporâneos de seu auge, mas também pelos mais novos e curiosos. 

Voltando ao bar, se me deparasse com ele, sem pestanejar diria; "Pô, o mundo não é mais o mesmo. A sociedade não tem sequer a capacidade de imaginar-se alternativa. Você fez história, velho. Volta pra cá. Ou canta pra subir!"

RENATO RUSSO (27/03/16 - Edição 68)


"Como definir Renato? Conheço várias pessoas, fãs das composições do cantor/trovador que já, inclusive, tentaram se visualizar como namorado(a) dele, nas composições sobre relacionamentos. Ou que já se imaginaram sentando à mesa de bar com ele para falar de política, de música. Outros condenam a suposta mente perturbada que ele ostentava, ou até seu jeito temperamental, que lhe fazia dar pitis com problemas de som, com atrasos (apesar dele os cometer também), com falta de profissionalismo (idem). Então, vamos tentar parar com definições ou classificações - não há consenso com artistas como ele! 

A obra fala por ele. Ela que se encontra imortalizada e, por décadas, soará como atual. Faz (e sempre fará) as pessoas ouvirem e pensarem: "puta que pariu, esse cara está falando da minha vida!". Seja na maneira reacionária dos primeiros anos de carreira, quando atacou a política e defendeu a juventude como poucos, ou então quando deixou a crítica de lado e focou-se nas declarações de amor para seus bofes, Renato fez tudo com uma verdade tão intensa que conquistou, inevitavelmente, inúmeras "identidades afetivas" apelidadas de fãs. 


Diante de tantas "homenagens póstumas", "lançamentos de shows inéditos", "caça-níqueis disfarçados de discos de duetos", ficamos com a poesia que, no final das contas, é a que permanece imune e eterna."



RITA LEE (29/11/15 - Edição 52)

Falar da Rita é muito difícil. Ela já chegou clássica na música brasileira, primeiro pela ousadia com a qual apareceu, lá no fim dos anos 60, integrando o grupo de rock psicodélico-zueiro Mutantes, chocando o olhar conservador e ditatorial brasileiro pelo invencionismo e ineditismo de seu estilo - tanto musical, como fashionista! Contraventora de carteirinha, chegou inclusive a se apresentar de vestido de noiva, chocando, além da família tradicional brasileira, sua própria mãe!! 

A então linda loirinha não usava de sua beleza física para se expressar - muito pelo contrário: era mais fácil se esconder por trás dos figurinos escandalosos que utilizava como complemento de suas apresentações. 

Cantora e compositora, Rita nunca foi tédio. A gana em se transformar, transmutar e fantasiar estava em sua veia AD INFINITUM e, ironicamente, quando seus colegas Mutantes não quiseram mais "mudar", ela se tornou grande demais pra permanecer com eles e iniciou uma carreira solo (primeiro com Tutti Frutti, depois ao lado de seu maridão Roberto De Carvalho) muitíssimo bem sucedida, por sinal, e que já dura mais de 40 anos! 

(Na verdade, dizem as más línguas que rolou uma expulsão. Essa história nunca chegou a um denominador comum, a não ser no tocante à principal consequência: enquanto eles se foderam com sua saída, ela brilhou muito mais, a ponto de se tornar a RAINHA ABSOLUTA DO ROCK BRASILEIRO!!) 

Hoje, Rita está mais reclusa e avessa a entrevistas, e sua carreira anda cada vez mais hiática, mas seu brilho no cancioneiro nacional já é eterno! 

ROBERTA SÁ (22/11/15, Edição 51)

Vinda do Rio Grande do Norte, a nossa homenageada de hoje começou sua carreira, pasmem, no programa Fama, da Rede Globo. Segundo a cantora, o formato do programa estava americanizando demais os artistas, o que lhe desagradou e a tirou na quarta semana. Na ocasião, uma demo sua chegou às mãos de Gilberto Braga, que gostou tanto que a pediu pra regravar o hit "A Vizinha do Lado", que entrou pra trilha da novela "Celebridade". Roberta estourou, conheceu o produtor Rodrigo Campello e gravou então seu primeiro disco, "Braseiro", em 2005. Desde então não parou mais! 

A empreitada da gata brejeira desse ano é um disco de sambas, intitulado "Delírio", no qual se vê uma Roberta mais solta e totalmente à vontade com o estilo. O disco tem um presente de Adriana Calcanhotto para a moça, a ótima música "Me Erra", além de contar com a participação de Martinho Da Vila também. Está no meu top de melhores discos desse ano, sem sombra de dúvidas! 

Hoje, a Roberta estreia mais uma música na parada: a parceria com Chico Buarque, "Se For Pra Mentir", porém a música que apresentaremos agora é a faixa título do álbum, já há quase dois meses conosco e muito bem posicionada no TopTulho! É hora de sambar, gente!!

ROBERTO CARLOS (03/10/16 - Edição 56)

Como já falei inúmeras vezes aqui no EnTHulho, Roberto Carlos é mesmo um rei - no caso, um rei midas da música brasileira: qualquer single isolado chega fácil em primeiro lugar, sem que se faça muito esforço, assim como qualquer tema de novela vira hit como água, e por aí vai... 

Mas essa predileção alcança até uma regravação. Em Dezembro de 2015, ele lançou oficialmente uma versão reggae de "Eu Te Amo, Eu Te Amo, Eu Te Amo" num dia e, no seguinte, já estava lá, estouradaça nas principais rádios. Antes, contudo, a música integrou a trilha da novela "A Regra Do Jogo". 

Gostem ou não dele, mas esse talento de tudo que tocar virar ouro é um fato! 


(Poderia dar uma inovada, hein? Substituir cartas por e-mails, ou telefonar por mensagens de voz por whatsapp... :P )

SKANK (22/02/15, Edição 12)

Nesta semana, chegou a vez de falarmos de outros mineiros: a trupe do Skank, outra banda muito bem sucedida dos Anos 90, sobrevivendo bem à crise que o rock nacional vem sofrendo nos dias de hoje. 

O Skank é bem inventivo, e já passou por diversas fases e estilos durante sua trajetória, sem perder, contudo, a identidade. Ponto para Samuel Rosa e sua equipe, que souberam conduzir o percurso do grupo com inteligência. Houve a fase reggae, a fase balada Beatles, a fase roqueira, o pop deslavado e muito mais, sempre em discos bem produzidos e assobiáveis. 

Hoje, eles aparecem nas paradas de todas as rádios com essa bela balada, faixa do disco "Velocia" (2014), que nos remete muito aos tempos áureos de "Resposta" (1998). Inclusive, hoje subiu mais duas posições. E você, o que acha de "Esquecimento"?

TIAGO IORC & SANDY (17/07/16 - Edição 84)

A parceria ganhou a mídia musical. A maior parte das rádios - desde as mais populares,às mais, digamos, refinadas, vendem essa música. Clipe fofo na TV (e youtube), delicadeza nas interpretações e muito talento reunido. Até polêmicas (como o boato de que Lucas Lima teria ficado com ciúme de Tiago Iorc. Acho difícil, uma vez que Lucas integra o corpo de compositores). Tudo isso está contribuindo e caminhando para, quem sabe, tornar "Me Espera" a música do ano! 

Sandy, amadurecida, está trilhando uma trajetória interessante, sem se "trair" como tantas contemporâneas suas. E o Tiago já está estourado há algum tempo, conquistando vários tipos de público.

TIÊ (23/08/15, Edição 38)

A música original pertence a maravilhosa (e desconhecida aqui) cantora italiana Arisa, a quem admiro demais! Porém, Tiê trouxe a melodia de "La Notte" para o Brasil, e colocou uma letra condizente e romântica/melancólica, já se tornando, assim, uma das melhores músicas do ano. 

Além do mais, "A Noite" (título da versão aqui) é o tema romântico principal da atual novela das sete, "I Love Paraisópolis", o que certamente impulsionou seu ótimo desempenho nas rádios do país. Ponto pra Tiê, que finalmente é conhecida de vez no país, mesmo com tantos anos de estrada.

THIAGO PETHIT (04/05/15, Edição 22)

Ele pode rejeitar o título à vontade, usar do anti-marketing o marketing ideal, ter uma postura indie-rock brasileira como ninguém, mas a real é que já foi picado pelo bichinho da idolatria. 

Odeio rótulos (ele também), mas o fato é que o xará tem muito pra ser o Cazuza dos novos tempos. E ele faz isso com muito talento e ousadia. 

Meu mais recente ídolo-de-vida-toda. Posso garantir :)

TITÃS (20/12/15 - Edição 55)

E nossa mensagem de fim de ano vai com os Titãs, sobretudo por estes 365 dias terem sido bastante conturbados. Foi crise econômica, política, raiva nas redes sociais, desesperança, guerras....tudo menos PAZ. 

E como esse single relançado em 2015 preconiza justamente ela...a eleita pra ilustrar esse último TopTulho do ano é justamente calcada pela positividade de sua letra. 

Paz pra todos, SEMPRE!

VANDER LEE (02/10/16 - Edição 95)

Parecia oportunismo, mas não foi. Quando o saudoso mineiro Vander Lee faleceu (em 05 de Agosto desse ano), a música "Mutirão De Amor" - homenagem do cantor a Jorge Aragão(num sambabook dedicado ao sambista) já estava sendo pedida nas rádios de MPB. Com sua morte ou não, ela tenderia a crescer muito mais e estar nas atuais posições mais elevadas dos pedidos de qualquer maneira. 

Sou contra o oportunismo de deixar o artista que morre no auge, e sei que a triste perda desse talentoso cantor e compositor não foi determinante pro crescimento da canção nas paradas. Ela explodiria de todo jeito! 

Aqui no TopTulho, "Mutirão De Amor" está em décimo lugar há muitas semanas. Vamos homenagear esse lindo e simpático gênio musical com a apresentação da música. Luz, cada vez mais!

ZECA BALEIRO (12/06/16 - Edição 79)


"Zeca é praticamente o carro chefe da MPB surgida nos anos 90. Sempre vou rechaçar as alegações que essa década foi nula pra MPB porque não foi. E Moska, Chico César, Adriana Calcanhotto, Carlinhos Brown, Lenine (ok, ele foi antes, mas explodiu nos 90's), Cássia Eller, Zélia Duncan, Marisa Monte e tantos outros? É altamente leviana a alegação de que não houve nada de bom no universo da música brasileira no período entre 1990-1999. 

Nesse contexto, Zeca Baleiro possui uma fórmula mágica de fazer música que agrada os mais refinados e os mais populares. O que é um feito e tanto, já que suas letras sempre me remeteram aos grandes artistas surgidos nos Anos 70, ou seja, são músicas munidas de um subjetivismo pontual, mas que, de tão bem interpretadas e poetizadas, chegam ao alcance de vários tipos de ouvintes. E proporcionam prazer de maneira isonômica."


ZÉLIA DUNCAN (29/11/15, Edição 52)

Por causa de “Antes Do Mundo Acabar”, entrei de vez no universo do samba, que até então não me tocava tão forte. Agora, estou atrás de álbuns de outros sambistas, com muita sede de aprender sobre esse estilo tão rico. E graças a Zélia – ela, decididamente, me faz um ser humano musical melhor!" 

Se no Brasil tudo termina em samba, no TopTulho não será diferente! Fiquem agora com "Olha, O Dia Vem Aí", primeiro single desse super álbum, que está em 5º lugar em nossa parada!

ZIZI POSSI (10/05/15, Edição 23)

Falar de Maria Izildinha é pensar em sofisticação. Em como ela trabalha em favor da música, em consonância com o que ela proporciona. Seu diferencial? Muito além da voz cristalina e potente, temos garantidos o seu domínio de palco, carisma, presença e elegância. Qualidades que passou de pronto pra sua filha, Luiza, que segue uma linha mais pop, porém com pitadas da "classudez" da mãe.

E o repertório? Da fase classuda, passa pra fase do "sucesso comercial fácil", percorrendo pelo ostracismo e regressa pra recente refinada e jazzística! E sempre trouxe seus elementos peculiares para todas elas. 

Zizi ressurgiu ano passado, depois de um bom período hiático, mesclando sucessos com músicas requintadas e pouco comerciais. Aliás, ela deixou boa parte de seus sucessos extremamente fáceis de fora de sua versão piano e voz. 

No TopTulho, "Sem Você", sua versão para "Busy Man", do Carlinhos Brown & Marisa Monte, está numa linha crescente muito grande, hoje, inclusive, subindo 5 posições. Faixa do disco "Tudo Se Transformou, é ela que ouviremos a partir de agora!




UFA!!! Deu uma canseira fazer esse post, mas o resultado muito me agradou!! Espero que tenham gostado!

Para finalizar essa edição festiva, claro, a parada do dia, que hoje tem como primeira posição MARIA BETHÂNIA, mais uma vez cantando uma música de ADRIANA CALCANHOTTO, e deixando nossos corações mais requintados! Além disso, temos a estreia de Silva, uma das novas vozes da MPB que está fazendo o maior barulho nas principais mídias pelo disco que lançou só de interpretações para clássicos de Marisa Monte!

A gente confere a parada e, pra finalizar a festa, ficamos com Maria Bethânia, convidada especial dessa comemoração! Que venha o 3o ano!!

TOPTULHO MUSICAL - EDIÇÃO 103 - 27/11/16

1) MARIA BETHÂNIA - Era Pra Ser (+1) (5 Semanas)    
2) BABY DO BRASIL - Malandro (+2) (7 Semanas) 
3) DIOGO NOGUEIRA - Sangrando (=) (10 Semanas)    
4) TIAGO IORC - Coisa Linda (-3) (11 Semanas)  
5) NANDO REIS - Só Posso Dizer (+2) (8 Semanas)   
6) FILIPE CATTO - Depois De Amanhã (-1) (8 Semanas)   
7) BLITZ & ZECA PAGODINHO - Fominha (+1) (3 Semanas) 
8) ANAVITÓRIA - Agora Eu Quero Ir (+7) (5 Semanas)  
9) TIÊ - Onde Está O Amor? (=) (4 Semanas)
10) PONTO DE EQUILÍBRIO & IVETE SANGALO - Estar Com Você (+2) (4 Semanas) 
11) ANA CAROLINA - Se Manca (+3) (7 Semanas)   
12) ROBERTA CAMPOS - Minha Felicidade (-6) (10 Semanas)   
13) DANIELA MERCURY - Meu Plano (+3) (3 Semanas)  
14) MARIA RITA - Coração A Batucar (-4) (11 Semanas) 
15) ARTHUR AGUIAR - A Flor (+5) (2 Semanas) 
16) LINEKER - Alguém Segure Esse Homem (+2) (3 Semanas)
17) SILVA - Feliz e Ponto (ESTREIA)
18) MARTINHO DA VILA - Escuta Cavaquinho (-7) (13 Semanas) 
19) ALCEU VALENÇA - Flor De Tangerina (-6) (11 Semanas)  
20) MONIQUE KESSOUS - Pedaço De Ilusão (-3) (7 Semanas)  

Saiu:

MALLU MAGALHÃES - Casa Pronta (12 Semanas. Maior posição; 05) 


ERA PRA SER
Adriana Calcanhotto
Maria Bethânia

Era pra ser canção de amor
Era o amor em versos
Era pra ser sobre você e eu e o meu deserto
Era pra ser para você, sempre você, pra sempre
Era pra poder ficar eternamente no presente

O amor soprou de outro lugar
Pra derrubar o que houvesse pela frente
Tenho que te falar
Essa canção não fala mais da gente

Era pra ser canção de amor
Era o amor em versos
Era pra ser sobre você e eu e o meu deserto
Era pra ser para você, sempre você, pra sempre
Era pra poder ficar eternamente no presente

O amor soprou de outro lugar
Pra derrubar o que houvesse pela frente
Tenho que te falar
Essa canção não fala mais da gente

O amor soprou de outro lugar
Pra derrubar o que houvesse pela frente
Tenho que te falar
Essa canção não fala mais da gente 


TH - Orgulho do meu cantinho!


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...