domingo, 15 de outubro de 2017

TOPTULHO MUSICAL # 147!



Com algumas horinhas de atraso, chega ao ar o TopTulho Musical 147 - a sua parada da resistência. E nem vou culpar o horário de verão que começou hoje! Foi puro cansaço mesmo, da rotina louca que comecei há duas semanas!

Gostaria de parabenizar pelo seu dia todos os professores do país, essa classe que tanto admiro e que tanto é desmerecida e desprestigiada. Aqui pelo EnTHulho não!

Vamos direto ao ponto: ver como ficou a parada. que tem Zizi Possi como uma das estreias ("Faltavam Seus Olhos", tema da novela das seis "Tempo De Amar"), entrando no lugar dela própria, que saiu com "O Mar Me Leva". Temos também a estreia de Frejat, com "Tudo Se Transforma", entrando no lugar de Dj Joe Kinni e George Israel, que saíram com "Olha Ela". E os Tribalistas se mantém na liderança com "Aliança". 

TOPTULHO MUSICAL - EDIÇÃO # 147 - 15/10/17

1) TRIBALISTAS - Aliança (=) (7 Semanas)
2) TIÊ - Amuleto (+1) (4 Semanas) 
3) NANDO REIS - Nos Seus Olhos (+3) (4 Semanas) 
4) ELZA SOARES & PITTY - Na Pele (-2) (8 Semanas)   
5) CHICO BUARQUE - Tua Cantiga (=) (10 Semanas)      
6) VANESSA DA MATA & BAIANA SYSTEM - Gente Feliz (Sinceridade) (-3) (8 Semanas)
7) PROJOTA & ANAVITÓRIA - Linda (+3) (5 Semanas)     
8) PRETA GIL & PABLLO VITTAR - Decote (=) (6 Semanas)
9) PATO FU - Palco (+3) (4 Semanas) 
10) JOHNNY HOOKER & LINIKER - Flutua (-3) (9 Semanas)  
11) TRIBALISTAS - Diáspora (+2) (3 Semanas)   
12) OS PARALAMAS DO SUCESSO - Sinais Do Sim (-3) (9 Semanas) 
13) ZIZI POSSI - Faltavam Seus Olhos (ESTREIA)
14) GUILHERME ARANTES - Semente Da Maré (Canção Do Refugiado) (+1) (6 Semanas)   
15) MAJOR LAZER & ANITTA & PABLLO VITTAR - Sua Cara (-4) (14 Semanas)    
16) FREJAT - Tudo Se Transforma (ESTREIA)
17) BARÃO VERMELHO & RODRIGO SURICATO - Brasil (=) (3 Semanas) 
18) NATIRUTS - Na Positiva (+2) (2 Semanas)
19) JADE BARALDO - Brasa (=) (2 Semanas)
20) ZECA BALEIRO & ALESSANDRA MAESTRINI - Que Amor É Esse? (-6) (6 Semanas)

Saem:

ZIZI POSSI - O Mar Me Leva (9 Semanas. Maior posição: 04)
GEORGE ISRAEL & TONI GARRIDO & DJ JOE KINNI - Olha Ela (8 Semanas. Maior posição: 09)  

Ela está de volta! Enquanto "Corpo Sensual" não estreia aqui (tá pertinho), a música "Decote", de Pabllo Vittar, com participação de Preta Gil mantém-se na oitava posição. Esse Pop Samba não fez muito sucesso nas rádios populares, mas mostra a capacidade da dupla de agitar com qualidade!

Vamos ficar com esse hit!


DECOTE
Preta Gil & Pabllo Vittar

[Pabllo Vittar]
Preta

[Preta Gil]
Pabllo

Hoje eu vou pro samba
Que o meu corpo quer sambar
Minha alma pede samba
Eu cansei de te falar

[Pabllo Vittar]
Sou movida pela dança
Que me faz querer cantar
Você roubou o meu samba
Ponha-se no seu lugar!

[Preta Gil & Pabllo Vittar]
Eu falei
Que eu era mais forte
Agora boa sorte
E me libertei
Não se importe com o meu decote
Eu bem que te falei
Que eu era mais forte
Agora boa sorte
E me libertei
Agora é minha vez

[Preta Gil]
Hoje eu vou pro samba
Que o meu corpo quer sambar (quer sambar)
Minha alma pede samba
Eu cansei de te falar

[Pabllo Vittar]
Sou movida pela dança
Que me faz querer cantar
Você roubou o meu samba
Ponha-se no seu lugar!

[Preta Gil & Pabllo Vittar]
Eu falei (mas eu falei)
Que eu era mais forte
Agora boa sorte
E me libertei
Não se importe com o meu decote
Eu bem que te falei
Que eu era mais forte
Agora boa sorte
E me libertei
Agora é minha vez

[Preta Gil & Pabllo Vittar]
Você duvidava
Que eu era capaz
Estou aqui
Consegui até mais
Agora não vem correr atrás
Você não me satisfaz

[Preta Gil & Pabllo Vittar]
Eu falei
Que eu era mais forte
Agora boa sorte
E me libertei
Não se importe com o meu decote
Eu te falei
Que eu era mais forte
Agora boa sorte
E me libertei
Agora é minha vez

[Preta Gil & Pabllo Vittar]
É Preta Gil meu amor!
Pisa menos! (Vai)
Ressuscita!




E o segundo destaque do dia, em sentido totalmente oposto, está estourado em todas as rádios do Brasil. Projota, o rapper-pop que costuma citar em suas letras outros companheiros da música (aqui, se excedeu e citou até Jorge e Mateus!) uniu-se às meninas-sensação da nova MPB AnaVitória, resultando nesse megahit!

Alcançou a sétima posição e é com ele que vocês ficam agora!



LINDA
Projota e AnaVitória

Ô, linda!
O que que você faz pra ser assim tão linda?
Quando se olhar no espelho diz assim
"Tô linda!"
Não sei o que dizer pra te ganhar ainda
Mas o começo pode ser assim

Avisa geral que já era,
não tô mais sozinho na pista
Avisa pra elas que eu já fui,
Pra zoeira dei "hasta la vista"
Eu só quero uma casa no mato
E uma boa razão pra sonhar
Um cachorro, um gato, comida no prato
E uma cama para a gente quebrar
Tava perdido aqui, cê veio me salvar
Eu sou um eterno aprendiz, você me dá uma aula
É uma canção da Adele, me acalma
Eles querem coisa de pele,
A gente tem coisa de alma

Ô, linda!
O que que você faz pra ser assim tão linda?
Quando se olhar no espelho diz assim
"Tô linda!"
Não sei o que dizer pra te ganhar ainda
Mas o começo pode ser assim

Ô, linda!
O que que você faz pra ser assim tão linda?
Quando se olhar no espelho diz assim
"Tô linda!"
Não sei o que dizer pra te ganhar ainda
Mas o começo pode ser assim

E mesmo se eu cantasse todas as canções do mundo
Eu não saberia falar sobre algo tão profundo
Eu sei que no fundo só quero algo puro
Se o assunto é você não seguro
Me sinto seguro
Já posso pensar no futuro
Então vem, você é minha "baby honey"
Até já desencanei das vezes que me enganei
Ei, eu que vim da bagunça até já cansei
Não sou Jorge e Mateus mas eu também "Sosseguei"

Vivendo nesse mundo louco
Só quero me entregar um pouco
E permitir, sentir

E eu
Ouvi um Djavan pra me inspirar pra te escrever
Ouvi Chico Buarque pra aprender sobre você
(É real)
Ouvi Roberto Carlos pra saber como fazer
(Salve rei!)
E ouvi meu coração pra ter coragem de dizer

Ô, linda!
O que que você faz pra ser assim tão linda?
Quando se olhar no espelho diz assim
"Tô linda!"
Não sei o que dizer pra te ganhar ainda
Mas o começo pode ser assim

Ô, linda!
O que que você faz pra ser assim tão linda?
Quando se olhar no espelho diz assim
"Tô linda!"
Não sei o que dizer pra te ganhar ainda
Mas o começo pode ser assim

O que é que você faz?
O que é que você faz?
Linda demais
Você é linda demais
Você é linda demais
Ô, linda!




E agora, nossa tradicional aula de História, com o...



Seguindo com nossa temporada anos 30, hoje falaremos do épico 1932 - ano muito importante aqui no Brasil, mas, antes, vamos retornar àquele texto-geral sobre os anos 30, continuando o que foi escrito na edição anterior!

DÉCADA DE 30 - OS ANOS DAS INCERTEZAS
Fátima Mendes Carvalho - Parte III

O Governo Provisório, com um Ministério formado por representantes das forças vencedoras, tinham dois problemas fundamentais para resolver: acabar com a crise econômica e criar um sistema político que lhe assegurasse condições de governar. As primeiras decisões, objetivando a centralização política e o fortalecimento do Estado, atingiam em cheio a autonomia da oligarquia paulista. O governo fechou o Congresso, os legislativos estaduais e os partidos políticos. Nomeou os chefes do tenentismo para serem interventores nos Estados e aumentou o poder de ação do Estado na Economia, criando conselhos técnicos autorizados a interferir em cada ramo de produção.
Ao assumir, o Governo Provisório criou o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio e em 1931, aprovou a Lei de Sindicalização, proposta pelo Ministro do Trabalho, Lindolfo Collor: todos os sindicatos eram obrigados a se filiar ao Ministério para serem reconhecidos oficialmente e receber o fundo sindical. A “Lei Collor” representava a primeira restrição à autonomia dos sindicatos. O Governo fixou também em 8 horas o limite máximo da jornada de trabalho, regulamentou o trabalho das mulheres e crianças, criou Institutos de Previdência para diversas categorias, os IAPs, instituiu o Conselho Nacional de Serviço Social, além de tomar uma série de outras medidas.
O Governo Provisório acertou dois coelhos de uma só vez: de um lado, protegia os trabalhadores, atendendo a antigas reivindicações, do outro, “disciplinava” sua atuação, subordinando os sindicatos ao Ministério e acabando com a tradicional independência. Era a “harmonia social”, segundo afirmava Getúlio Vargas.
As leis trabalhistas representavam o reconhecimento pelo Governo da questão social, tida na República de Fazendeiros como uma “questão de polícia”, mas naquele momento encarada como importante “questão política”. Para os trabalhadores urbanos, a maioria vinda recentemente do campo onde não havia nenhuma proteção trabalhista, enquanto os mais velhos e conscientes tinham sido afastados à força das antigas lideranças, Getúlio Vargas projetava-se como “O PAI DOS POBRES”, imagem, aliás, que o próprio Estado se encarregava de difundir. Para o Governo, a legislação social tinha um significado especial: impedir a organização independente da classe trabalhadora, além de se constituir, sobretudo pela subordinação dos sindicatos ao Estado, na base de manipulação populista das massas anos depois.Em 1931, com exceção de Pernambuco e Bahia, todos os estados do Norte e do Nordeste tinham um "tenente" no governo. Para impedir abusos e melhor controlar a ação dos interventores, o Governo Provisório criou, em agosto daquele ano, o Código dos Interventores. 
A força dos "tenentes" também esteve presente em São Paulo. Para eles, aquele estado, tão importante e poderoso na Primeira República, poderia se constituir na principal força anti-revolucionária e por isso deveria ser mantido sob vigilância. Assim, para a interventoria paulista foi nomeado o "tenente" João Alberto, e não um representante do Partido Democrático de São Paulo, que tivera participação no movimento revolucionário e esperava ser recompensado. Para a chefia da Força Pública do estado Vargas indicou Miguel Costa, outro importante líder do tenentismo. Essas nomeações desagradaram profundamente o PD e importantes parcelas das elites paulistas, interessadas em manter o controle do poder. 
Em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul, Vargas não considerou necessário enfrentar os grupos oligárquicos regionais que haviam apoiado a Revolução de 1930. Minas foi o único estado que não teve interventor: foi mantido no cargo o presidente estadual Olegário Maciel. No Rio Grande do Sul, que antes da revolução era governado pelo próprio Vargas, foi nomeado interventor Flores da Cunha, homem de longa tradição na vida política gaúcha.
Os "tenentes" se consideravam os verdadeiros revolucionários. Não queriam que a Revolução de 1930 se transformasse em uma mera troca de cadeiras entre os grupos oligárquicos. Trataram, portanto de criar instrumentos de ação política capaz de levar adiante o projeto de um governo centralizador, intervencionista e reformista. Por sua iniciativa formou-se em alguns estados legiões revolucionárias e, no Rio de Janeiro, fundou-se o Clube 3 de Outubro, mais tarde redefinido como Legião de Outubro principal porta-voz do grupo. Apoiou a criação do clube importantes lideranças civis, como os ministros Oswaldo Aranha e José Américo de Almeida e os interventores Carlos de Lima Cavalcanti (PE) e Pedro Ernesto (DF), que pressionaram o Governo, defendendo a adoção de planejamentos econômicos para o atendimento uniforme das regiões e medidas industrializantes e nacionalistas. Alguns interventores esboçaram a realização de reformas sociais, como na Bahia, Juraci Magalhães decretou a redução dos aluguéis e Juarez Távora, “Vice-Rei do Norte”, chegou a falar em expropriação de latifúndios.
O projeto tenentista divulgado por essas entidades defendia medidas como a centralização do sistema tributário, o fortalecimento das Forças Armadas, a federalização das milícias estaduais, a criação de uma legislação trabalhista e a modernização da infra-estrutura do país. Do ponto de vista político, os "tenentes" aprovavam a centralização do poder nas mãos de Vargas e desconfiavam da representação partidária vista como palco para a atuação de grupos voltados apenas para os seus interesses privados. Isso significava defender a manutenção de um governo de caráter revolucionário e ditatorial e o adiamento do processo de constitucionalização. No entanto, naquele momento, a introdução de um regime de base constitucional era a principal reivindicação dos grupos oligárquicos, que se sentiam cada vez mais preteridos pelo governo e temiam o fortalecimento político dos "tenentes". 
Mas com o tempo, aos poucos, os tenentes interventores foram recuando e ligando-se as oligarquias que estavam na oposição. No plano político, desejavam um Estado autoritário “pelo tempo indispensável”, modificando assim suas concepções “liberais”.
Temendo a perda da tradicional autonomia estadual, as classes dominantes paulistas, antes divididas, votaram a se aproximar. Opunham-se às medidas autoritárias e populistas do interventor João Alberto, que reprimiam violentamente as oposições no Estado. Mas, opunham-se, sobretudo à crescente intervenção do Estado na economia, especialmente no setor cafeeiro, ainda que tal intervenção se destinasse a sustentar esse mesmo setor. 
As classes dominantes paulista uniram-se contra o Governo Provisório, passando a lutar pela reinstauração do “estado de legalidade” e do regime liberal. A proposta atraía diversos setores da sociedade paulista. Para as oligarquias do PRP e do PD, que se aliaram formando uma frente única antigoverno, significava a criação de condições que permitiam sua volta ao poder. Isto também interessava às facções oligárquicas dos outros Estados, derrotadas em 1930, que também continuavam excluídas do Governo Federal. (CONTINUA...)

1932...

O ano de falecimento de Santos Dumont foi efusivo, principalmente aqui no Brasil, com a histórica REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA, que eclodiu em 09 de Julho! No texto a seguir, a jornalista REGINA DA LUZ MOREIRA dá um veredicto sobre o ocorrido. 



Sem dúvida um dos mais importantes e dramáticos acontecimentos da história republicana brasileira. Expressão da insatisfação dos paulistas com a Revolução de 1930, o movimento serviu, antes de mais nada, para convencer o Governo Provisório de Getúlio Vargas da necessidade de pôr fim ao caráter discricionário do regime sob o qual vivia o país. Isto só aconteceria quando a constituição de 1890, tornada sem efeito, fosse substituída por outra.

Se o Partido Republicano Paulista (PRP) congregava as forças conservadoras do estado, por outro lado, o Partido Democrático de São Paulo desde o início se envolveu com a campanha da Aliança Liberal e com as articulações da Revolução de 1930. É sabido que o estado de São Paulo foi a principal base política da chamada República Velha e do sistema oligárquico por ela instaurado, ou seja, representava exatamente aquilo que o movimento de 1930 pretendia mudar.
Pode-se compreender, portanto, como seria difícil estabelecer, após a vitória da revolução, um novo equilíbrio de forças no estado. Deposto o presidente Washington Luís, e enquanto o país passava a ser governado por uma junta militar, o governo paulista foi assumido pelo comandante da 2ª Região Militar, general Hastínfilo de Moura. Nesse momento, o PD forneceu a maioria do novo secretariado. Mas, logo em seguida, Getúlio Vargas assumiu a chefia do Governo Provisório e, pressionado pela liderança tenentista, decidiu nomear um delegado militar para governar São Paulo, o tenente João Alberto Lins de Barros.

Ficou clara, então, a divergência entre os projetos políticos dos paulistas e dos tenentes. João Alberto governou até 13 de julho de 1931, e no período seguinte houve grande instabilidade: Plínio Barreto (paulista, civil e constitucionalista, mas fiel ao Governo Provisório e indicado por João Alberto) foi cogitado para interventor, mas desistiu; Laudo Ferreira de Camargo (também paulista e civil, apresentado como solução de compromisso, embora sem o apoio do PD e do PRP), tomou posse mas renunciou em novembro de 1931; finalmente assumiu Manuel Rabelo, que não contou com o apoio dos constitucionalistas, por ser militar e ligado aos tenentes.

Em fevereiro de 1932 a situação se agravou. O PD rompeu com Vargas e seu governo, ao mesmo tempo que se aproximaou dos antigos adversários do PRP, formando a Frente Única Paulista (FUP), que se tornou a porta-voz das reivindicações de reconstitucionalização e de autonomia administrativa para o estado de São Paulo. Mais do que isso, a FUP passou a articular, junto aos meios militares e a algumas das principais entidades de classe do patronato paulista, a preparação de um movimento armado contra o Governo Provisório.

Vargas, por seu lado, procurando contornar a situação, optou pela nomeação de Pedro de Toledo para a interventoria paulista, quase ao mesmo tempo em que apresentava o novo Código Eleitoral (ambas as medidas de fevereiro de 1932) e marcava eleições para 1933 (em maio). Esse recuo, no entanto, não conseguiu estancar a exaltação da FUP e dos paulistas em geral, apesar de o PD, a essa altura, já controlar o secretariado do novo interventor. A morte de estudantes em um confronto com forças legais acabou introduzindo no cenário político o ingrediente que faltava: mártires. Suas iniciais – Miragaia, Martins, Dráusio e Camargo – passaram a designar a sociedade secreta MMDC, interessada em articular a derrubada de Vargas.

A 9 de julho de 1932 eclodiu na capital paulista a Revolução Constitucionalista, liderada pelo general Isidoro Dias Lopes, o mesmo do levante de 1924. Contando com a participação de vários remanescentes do movimento de 1930, como os militares Bertoldo Klinger e Euclides Figueiredo, a revolução contou com amplo apoio dos mais diversos segmentos das camadas médias paulistas.

Nos poucos meses de conflito, São Paulo viveu um verdadeiro esforço de guerra. Não apenas as indústrias se mobilizaram para atender às necessidades de armamentos, mas também a população se uniu na chamada Campanha do Ouro para o Bem de São Paulo. Pela primeira vez buscavam-se iniciativas não apenas militares para romper o isolamento a que o estado fora submetido. Faltou, no entanto, a esperada adesão das forças mineiras e gaúchas. Os governos de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul, embora apoiassem a luta pela constitucionalização, decidiram manter-se leais ao Governo Provisório.

Isolado, o movimento fracassou. Em 1º de outubro de 1932 foi assinada a rendição que pôs fim à Revolução Constitucionalista. Enquanto os principais líderes tiveram seus direitos políticos cassados e foram deportados para Portugal, o general Valdomiro Lima – gaúcho e tio de Darcy Vargas, mulher de Getúlio – era nomeado interventor militar em São Paulo, cargo em que permaneceria até 1933.

Das armas ao voto: o saldo da Revolução de 1932

Se, do ponto de vista militar, os paulistas saíram derrotados do movimento de 1932, o mesmo não se pode dizer em relação à política e à economia. São Paulo continuava a ser o principal fornecedor de divisas do país, num quadro de crise econômica mundial e de queda do preço do café no mercado internacional. Assim pressionado, o Governo Provisório manteve a política de valorização do café, comprando e retendo estoques, além de permitir o reescalonamento das dívidas dos cafeicultores e aceitar bônus de guerra como moeda legal, entre outras medidas.

Em termos políticos, o que se verificou na prática foi o fortalecimento do projeto constitucionalizante, com Vargas reativando a comissão que elaboraria o anteprojeto de Constituição e com a criação de novos partidos para concorrer às eleições para a Assembléia Nacional Constituinte. Estas, realizadas em maio de 1933, deram a vitória à Chapa Única por São Paulo Unido, composta por membros da FUP que haviam permanecido no país e amplamente dominada por representantes do PRP. Além disso, em agosto de 1933, São Paulo finalmente viu chegar um civil e paulista à chefia do governo do estado, com a indicação de Armando de Sales Oliveira para substituir o general Valdomiro Lima. Em 1935, Armando Sales foi eleito governador constitucional de São Paulo pela Assembléia Constituinte Estadual.


Nos cinemas de 1932:
MONSTROS
SCARFACE - A VERGONHA DE UMA NAÇÃO
A MÚMIA
O EXPRESSO DE XANGAI
O FUGITIVO
NÃO MATARÁS
GRANDE HOTEL
AMA-ME ESTA NOITE

Dentre outros...

Na música internacional de 1932...

BING CROSBY - Dancing In The Dark
BING CROSBY - Please
BING CROSBY & THE MILLS BROTHERS - Dinah
CLYDE MCCOY - Sugar Blues
FRED WARING'S PENNSYLVANIAS - Dancing In The Dark
GUY LOMBARDO - You Are Driving Me Crazy
ISHAN JONES - Star Dust
JACQUES RENARD - Cuban Love Song
KATE SMITH - Too Late
LOUIS ARMSTRONG - All Of Me
PAUL WHITEMAN - All Of Me
PAUL WHITEMAN - Cuban Love Song
RUSS COLUMBO - Good Night, Sweetheart
SMITH BALLEW - Time On My Hands (You In My Arms)
THE MILLS BROTHERS - Tiger Rag
WAYNE KING - Good Night, Sweetheart

E na música brasileira? É Pra já!!

1932

Há 85 anos...

1) CASTRO BARBOSA & O GRUPO DA VELHA GUARDA - O Teu Cabelo Não Nega
2) GASTÃO FORMENTI - Maringá
3) FRANCISCO ALVES - Pra Me Levar Do Mal
4) BRENO FERREIRA - Andorinha Preta
5) LAMARTINE BABO - A-E-I-O-U
6) VICENTE CELESTINO - Noite Cheia De Estrelas
7) NOEL ROSA & OS SETE DIABOS - Mulher Indigesta
8) MÁRIO REIS - Uma Jura Que Fiz
9) PATRÍCIO TEIXEIRA - Samba De Fato

10) NOEL ROSA - São Nossas Coisas
11) JORGE FERNANDES - Pierrô
12) JONJOCA & CASTRO BARBOSA - Adeus
13) ARACY CÔRTES - Tem Francesa No Morro
14) SYLVIO VIEIRA - Frô Do Ipê
15) IRMÃOS TAPAJÓS - Loura Ou Morena?
16) CARMEN MIRANDA - Tenho Um Novo Amor
17) TRIO T.B.T. - Como Eu Te Amei
18) JAYME VOGELER - A Sertaneja
19) BONFIGLIO DE OLIVEIRA - Flamengo
20) SILVIO CALDAS - Se Eu Fora Rei

MENÇÕES HONROSAS:

ALBENZIO PERRONE - Melhor Amor
ALDA VERONA - Canção De Amor Cubano
ALDA VERONA - Papai Noel
ALMIRANTE - Já Não Posso Mais
ARACY CÔRTES - Dentinho De Ouro
ARACY CÔRTES - Que É Que?
ARTHUR COSTA - Sem Tostão
BIDÚ SAYÃO - Canção Da Felicidade
BIDÚ SAYÃO - O Luar Da Minha Terra
CASTRO BARBOSA - Boa Noite, Querida!
CARMEN MIRANDA - Bamboleô
CARMEN MIRANDA - Isto É Xodó
CARMEN MIRANDA - Mulato De Qualidade (!!)
CARMEN MIRANDA - Nosso Amor Veio De Um Sonho
CARMEN MIRANDA - Por Causa De Você
CARMEN MIRANDA - Quando Eu Me Lembro
CARMEN MIRANDA - Sonhei Que Era Feliz
CÉSAR PEREIRA BRAGA = Emociona-Me
CONJUNTO TUPY - Fica No Mocó
CONJUNTO TUPY - Foi Sem Querer
DINA MARQUES E NENEO DAS NEVES - Rumba Da Meia Noite
ELISA COELHO - Palmeira Triste
ELISA COELHO - Tenho Saudade
ELISA COELHO - Viva O Meu Brasil
FERNANDO CASTRO BARBOSA - A Última Estrofe
FRANCISCO ALVES - Gosto, Mas Não É Muito
FRANCISCO ALVES - Mulher De Malandro
FRANCISCO ALVES & MÁRIO REIS - Perdão, Meu Bem
GASTÃO FORMENTI - Na Serra Da Mantiqueira
HARRY MURAIM - Guarde A Última Valsa Para Mim
HELENA & JOÃO BARRETO - Castigo
ILDEFONSO NORAT - Sai Fumaça
ITA CAYUBI - Meu Mulato
JAYME VOGELER - Amargura
JESY BARBOSA - Queixas
JOÃO PETRA DOS SANTOS - Até Amanhã
JONJOCA - Azul E Branco
JORGE FERNANDES - A Ventura De Um Beijo
JORGE FERNANDES - Dor
JORGE FERNANDES - Eu Tenho Um Beijo Para Sua Boca
JORGE FERNANDES - Querer Bem
LEONEL FARIA - Que Se Dane
MÁRIO REIS - Mulato Bamba
MÁRIO REIS - Prazer Em Conhecê-lo
MÁRIO REIS & LAMARTINE BABO - Só Dando Com Uma Pedra Nela (!)
MOACYR BUENO ROCHA - Olhos Passionais
MOACYR BUENO ROCHA - Porque Jamais a Possuí
NOEL ROSA & ARTUR COSTA - Mentiras De Mulher
ORQUESTRA COLBAZ - Os Pintinhos Do Terreiro
ORQUESTRA REGIONAL COLUMBIA - Não Me Toques
PATRÍCIO TEIXEIRA - Cabide De Mulambo
RUTH FRANKLIN - Fiquei Sozinha
SILVIO CALDAS - É Mentira, Oi
SONIA BURLAMAQUI - Amanheça O Dia
SYLVIO SALEMA - A Valsa Do Meu Amor
TRIO T.B.T. - Ai Que Dor
TRIO T.B.T. - Ao Romper Da Madrugada
TRIO T.B.T. - Conselho e Um Santo
TRIO T.B.T. - Para Amar E Não Sofrer
TRIO T.B.T - Puxa Puxa O Cordão
VICENTE CELESTINO - Cabocla Serrana
VICENTE CELESTINO - Meu Brasil

Uma coisa se nota nessa época: apesar do relativo pouco tempo da libertação dos escravos, havia muito preconceito, porém, havia bastante desejo e cobiça pelos negros e mulatos nas canções, vide na primeira posição de hoje, de Castro Barbosa, em companhia do Grupo Da Velha Guarda.
Eu não lembrava dessa música, e vocês?


TEU CABELO NÃO NEGA
Castro Barbosa e Grupo Da Velha Guarda



O teu cabelo não nega, mulata
Porque és mulata na cor
Mas como a cor não pega, mulata
Mulata, eu quero o teu amor

O teu cabelo não nega, mulata
Porque és mulata na cor
Mas como a cor não pega, mulata
Mulata, eu quero o teu amor

Tens um sabor bem do Brasil
Tens a alma cor de anil
Mulata, mulatinha, meu amor
Fui nomeado teu tenente interventor

O teu cabelo não nega, mulata
Porque és mulata na cor
Mas como a cor não pega, mulata
Mulata, eu quero o teu amor

Quem te inventou, meu pancadão
Teve uma consagração
A lua te invejando faz careta
Porque, mulata, tu não és deste planeta

Quando, meu bem, vieste à Terra
Portugal declarou guerra
A concorrência, então, foi colossal
Vasco da Gama contra o batalhão naval



TH - Boa semana!

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

AMIGO MUSICAL CONVIDADO # 51 - Vinícius Borges!



O próximo Amigo Musical Convidado vem de longe...do Mato Grosso! É o primeiro de lá que aparece por aqui, o que me deixa feliz, pois já tenho amigos convidados de todas as Regiões Do Brasil! Já tive do Rio Grande Do Sul, Bahia, Amazonas, Goiás, São Paulo, Rio De Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Paraíba, Alagoas...é a música conectando amigos do Brasil inteiro!

O Vinícius traz a juventude estudantil hoje aqui pro blogue. Sim, pois eu me divirto muito com suas postagens sobre seu dia a dia na faculdade de Psicologia (e, lógico, me remeto à época em que era um graduando também, só que desabafava no finado Orkut...atestado de velho...hehe). Muito legal reviver, lendo sua experiências, tudo o que passei ao longo da rotina acadêmica. As coisas boas, coisas ruins...enfim, um marco na vida das pessoas!

Conheci o jovem aniversariante de hoje (25 primaveras hoje) num grupo de novelas, e mantemos uma amizade virtual muito bacana. Fico feliz com nossa afinidade nos gostos - principalmente de música - e foi um dos motivos que me fez fazer o convite para que ele seja mais um a deixar um relato musical aqui na seção!

Eu normalmente não estou mais tão aberto a novas amizades - acho que, com 35 anos, já conheci pessoas suficientes para chamar de amigo e pretendo ser bem mais seletivo a partir de então, motivo pelo qual posso afirmar, com toda convicção, que ele foi um dos últimos amigos virtuais que adquiri (com alegria!). 

O Vinícius optou por fazer um relato pessoal sobre um show de Tulipa Ruiz em que contemplou, e achei o máximo, principalmente por ser uma artista que poucas vezes esteve aqui no EnTHulho!

Finalizo deixando meus sinceros parabéns, e dizendo pra ele que "está tudo ok em hoje não estar ok. A gente sempre se supera e segue em frente". Valeu pela contribuição, meu querido!!



Em 13/05/2017, conferi um show da Tulipa em que, antes mesmo de começar, já me encontrava ansioso e feliz por finalmente conhecer de perto essa cantora dona de sons que sempre ri/chorei/dancei emocionado ouvindo-a em faixas como ‘’ Do Amor, Like This, Jogo do Contente etc’’e há 5 anos quando a descobri com o clipe da música "É". 

No dia, me lembro que já estava eu lá aquecendo ouvindo suas músicas, descobrindo ainda novas faixas como "Megalomania" (que se tornou uma das minhas favoritas ) "Oldboy" e "Algo Maior". Tendo a certeza que eu realmente ia gostar muito do que fosse ver logo mais à noite. 

O som de Tulipa, na minha opinião, é único, ela consegue ir do mais grave/agitado para o mais simplista e melancólico possível sem perder o ritmo a voz e os passos... 

Ao início da apresentação com ‘’Proporcional’’ em segundos já estava completamente extasiado por estar ali conferindo sua performance. 

Um dia inesquecível que concluiu para mim o poder e a inspiração dessa mulher como cantora!



Ok, chegou agora então a hora de Tulipa cantar megalomanicamente e especialmente para nosso jovem aniversariante! :)


MEGALOMANIA
Tulipa Ruiz

Isso é megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele

Isso é megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele

Dá uma coisa quer duas
Pede uma coisa quer outra
Dá a mão, quer o cotovelo
Dá o pé, ele já quer o joelho
Reclama o tempo inteiro
Reclama de barriga cheia
Reclama pra todo lado
Reclama com o peito inflado
Se queixa com a companheira
Se queima com o desconhecido
Possuí um ego expandido
É um sujeito muito expansivo

Isso é megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele
Isso é megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele

Dá uma coisa quer duas
Pede uma coisa quer outra
Dá a mão, quer o cotovelo
Dá o pé, ele já quer o joelho
Reclama o tempo inteiro
Reclama de barriga cheia
Reclama pra todo lado
Reclama com o peito inflado
Se queixa com a companheira
Se queima com o desconhecido
Possuí um ego expandido
É um sujeito muito expansivo

Isso é megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele
Megalomania dele
(Megalomania) dele
(Megalomania) dele
(Megalomania) dele
(Megalomania) dele

(Megalomania)
(Megalomania)
(Megalomania)



TH - Boa semana procês!

domingo, 8 de outubro de 2017

TOPTULHO MUSICAL # 146!


Bom dia, pessoal! Chegou a hora do TopTulho, a sua "parada da resistência" predileta!

Essa semana fiz uma nova enquete para colocar novas músicas aqui, e o resultado vocês conferirão nas próximas três edições! Não sei vocês, mas estou amando essa fase interativa do TopTulho!

Hoje a gente vai finalmente falar do regresso dos Tribalistas, destacando duas de suas músicas, e já avisando que "Fora Da Memória" está no gatilho para estrear também. Eles voltaram com tudo - mesmo com vozes discordantes e criticantes ao regresso...não por acaso, eles alcançaram a primeira posição hoje com "Aliança", desbancando Elza Soares e Pitty. 

Ainda na edição de hoje, a ex-The Voice Jade Baraldo estreia com "Brasa", single seu de Julho. Ela, que já está nas mídias com outro single, "Vou Passar" (de Setembro) nos presenteia com sua deliciosa voz! Outra música que estreou foi "Na Positiva", novo sucesso do Natiruts, que substitui outra deles, "Sol Do Meu Amanhecer", que nos deixou. Léo Jaime também nos deixou com 'Acredite Em Mim". 

Sem delongas, vamos ver como ficou o TopTulho de hoje:

TOPTULHO MUSICAL - EDIÇÃO #146 - 08/10/17

1) TRIBALISTAS - Aliança (+1) (6 Semanas)
2) ELZA SOARES & PITTY - Na Pele (-1) (7 Semanas) 
3) TIÊ - Amuleto (+4) (3 Semanas)
4) VANESSA DA MATA & BAIANA SYSTEM - Gente Feliz (Sinceridade) (=) (7 Semanas)  
5) CHICO BUARQUE - Tua Cantiga (-2) (9 Semanas)      
6) NANDO REIS - Nos Seus Olhos (+6) (3 Semanas) 
7) JOHNNY HOOKER & LINIKER - Flutua (-2) (8 Semanas) 
8) PRETA GIL & PABLLO VITTAR - Decote (+1) (5 Semanas)
9) OS PARALAMAS DO SUCESSO - Sinais Do Sim (-1) (8 Semanas) 
10) PROJOTA & ANAVITÓRIA - Linda (+1) (4 Semanas)    
11) MAJOR LAZER & ANITTA & PABLLO VITTAR - Sua Cara (-5) (13 Semanas)    
12) PATO FU - Palco (+4) (2 Semanas)
13) TRIBALISTAS - Diáspora (+6) (2 Semanas) 
14) ZECA BALEIRO & ALESSANDRA MAESTRINI - Que Amor É Esse? (-1) (5 Semanas)  
15) GUILHERME ARANTES - Semente Da Maré (Canção Do Refugiado) (=) (5 Semanas)
16) ZIZI POSSI - O Mar Me Leva (-6) (9 Semanas)
17) BARÃO VERMELHO & RODRIGO SURICATO - Brasil (+3) (2 Semanas) 
18) GEORGE ISRAEL & TONI GARRIDO & DJ JOE KINNI - Olha Ela (-4) (8 Semanas)   19) JADE BARALDO - Brasa (ESTREIA)
20) NATIRUTS - Na Positiva (ESTREIA)

Saem:

LÉO JAIME - Acredite Em Mim (8 Semanas. Maior posição: 06) 
NATIRUTS - Sol Do Meu Amanhecer (11 Semanas. Maior posição: 03) 

São 15 anos de hiato entre o bem sucedido primeiro álbum e o atual. Com a língua afiada e a já conhecida capacidade de falar de temas sérios com as palavras certas, mas com humor e leveza, os Tribalistas estão de volta, e esse regresso parou as redes sociais no mês de Agosto. Entre opiniões divididas, eles voltaram com fibra e já fazendo muito sucesso. Lançaram 4 singles/videoclipes de antecipação, e duas de suas músicas já estão no TopTiulho: "Diáspora" e "Aliança", que hoje alcança a primeira posição. 

O disco - produzido por Marisa Monte, reúne dez canções concebidas em reuniões dos três na Bahia (na verdade, eram 20, mas tiveram que selecionar metade. Eles estão com tudo em termos de criatividade, hein?). 

MM, AA e Brown estão leves e saudando a vida - e reenergizando a (cada vez mais) agonizante MPB! Esse esforço há de ser levado a sério!


"Diáspora" é a canção mais forte do disco, talvez pela temática (refugiados políticos), e, não por acaso, é a minha favorita! Vamos nos deleitar com sua letra, agora!

DIÁSPORA
Tribalistas
Composição: Arnaldo Antunes

Acalmou a tormenta
Pereceram
Os que a estes mares ontem se arriscaram
E vivem os que por um amor tremeram
E dos céus os destinos esperaram

Atravessamos o mar Egeu
O barco cheio de fariseus
Como os cubanos, sírios, ciganos
Como romanos sem Coliseu
Atravessamos pro outro lado
No Rio Vermelho do mar sagrado
Os Center shoppings superlotados
De retirantes refugiados

You, where are you?
Where are you?
Where are you?

Onde está
Meu irmão
Sem Irmã
O meu filho sem pai
Minha mãe
Sem avó
Dando a mão pra ninguém
Sem lugar
Pra ficar
Os meninos sem paz
Onde estás
Meu senhor
Onde estás?
Onde estás?

Deus
Ó Deus onde estás
Que não respondes
Em que mundo
Em qu’estrela
Tu t’escondes
Embuçado nos céus
Há dois mil anos te mandei meu grito
Que embalde desde então corre o infinito
Onde estás, Senhor Deus

Atravessamos o mar Egeu
O barco cheio de fariseus
Como os cubanos, sírios, ciganos
Como romanos sem Coliseu
Atravessamos pro outro lado
No Rio Vermelho do mar sagrado
Os Center shoppings superlotados
De retirantes refugiados

You, where are you?
Where are you?
Where are you?
Where are you?
Where are you?

Onde está
Meu irmão
Sem Irmã
O meu filho sem pai
Minha mãe
Sem avó
Dando a mão pra ninguém
Sem lugar
Pra ficar
Os meninos sem paz
Onde estás
Meu senhor
Onde estás?
Onde estás?

Where are you?
Where are you?
Where are you?
Where are you?
Where are you?
Where are you?



E  a primeirona: o mais novo primeiro lugar do TopTulho pertence a "Aliança", que você confere exatamente agora! Aproveito e dedico este primeiro lugar à minha amiga aniversariante de hoje, Vera Calvão! Sei que não lerá isso, mas a dedicatória vai mesmo assim ;)


ALIANÇA
Tribalistas

Se, um dia, eu te encontrar
Do jeito que sonhei
Quem sabe, ser seu par perfeito 
E te amar
Do jeito que eu imaginei

Ao virar a esquina
Atrás de uma cortina, me perder
No escuro com você
Fogo na fogueira
O seu beijo e o desejo em seu olhar
As flores no altar

Véu e grinalda
Lua de mel
Chuva de arroz
E tudo depois
Dama de honra
Pega o buquê
Ninguém mais feliz
Que eu e você

Mas se, um dia, eu te encontrar
Do jeito que sonhei
Quem sabe, ser seu par perfeito 
E te amar
Do jeito que eu imaginei

Ao virar a esquina
Atrás de uma cortina, me perder
No escuro com você
Fogo na fogueira
O seu beijo e o desejo em seu olhar
As flores no altar

Véu e grinalda
Lua de mel
Chuva de arroz
E tudo depois
Dama de honra
Pega o buquê
Ninguém mais feliz
Que eu e você

Ninguém mais feliz
Que eu e você
Ninguém mais feliz
Que eu e você

Ninguém mais feliz
Que eu e você
Ninguém mais feliz
Que eu e você

Mas se, um dia, eu te encontrar
Do jeito que sonhei
Quem sabe, ser seu par perfeito 
E te amar
Do jeito que eu imaginei


E, depois de tantos Tribalistas, chegou a hora da gente viajar para curtir o nosso...



Seguindo com nossa retrospectiva histórico-musical, hoje chegou a vez de falarmos do ano de 1931!

Coincidentemente, nas horas vagas, estou revendo a novela "Éramos Seis", de 1994, em DVD, e estou na fase da novela em que a história se passa exatamente nesse ano, e a reconstituição de época da trama é perfeita!

Antes de falarmos especificamente de 1931, vamos retomar aquele texto-geral sobre a década de 30 da Fátima Mendes Carvalho, conferindo sua segunda parte! 

DÉCADA DE 30 - OS ANOS DAS INCERTEZAS!
Fátima Mendes Carvalho - Parte II


Propunha também reformas sociais, que se destinavam a atender as pressões do movimento operário, entre eles a fixação da jornada normal de trabalho de oito horas e a regulamentação do trabalho das mulheres e crianças que segundo documentos da época mostrava que o “desenvolvimento fabril brasileiro estava em sua infância. O exíguo grupo capitalista organizado em oligarquias patronais, que se havia abalançado à criação de fábricas estabelecera seus cálculos sobre uma base salarial baixíssima, salário de escravo, exploração brutal do braço humilde que se encontrava em abundância no país, gente de pé descalço e alimentação parca: um punhado de farinha de mandioca, feijão, arroz, carne-seca, artigos alimentares baratos e abundantes nos mercados, café adoçado com mascavo e um pouco de farinha, pois o pão era artigo de luxo, bem como o leite, a carne, os condimentos, os legumes (estes últimos desconhecidos na casa do trabalhador). E quanto à moradia, estava confinada a barracões em fundo de quintal, em porões insalubres, em casebres geminados (cortiços) próximos às fábricas e pelos quais pagavam de aluguel mensal 15, 20, 30 mil-réis. Esse proletariado fabril, em grande parte feminino e constituído de mocinhas, era o preferido para a indústria têxtil, trabalhando das 6 da manhã as 7 e 8 horas da noite, com uma hora intermediária para o almoço (...). A anemia e a tuberculose faziam abundante ceifa anual. Na indústria metalúrgica ou mecânica, o número de menores também era predominante, com exceção de um reduzidíssimo número de técnicos (mecânicos, ferramenteiros, moldadores, fundidores), o restante era constituído de carvoeiros, alimentadores de fornalha, fazendo serviços quase suicidas pelas bronquites, pneumonias, reumatismos que iam contraindo. Os menores, em que se contavam rapazinhos de oito anos, eram empregados em serviços pesados, alguns incompatíveis com sua idade e sua constituição física.”


Enfim, o programa da Aliança Liberal apresentava proposições de cunho liberal, familiares ao universo ideológico das classes dominantes, mesmo assim, a maioria duvidava de sua aplicação, pois, se concretizadas, produziriam fraturas no sistema de dominação.
Para vencer a máquina governamentista, que controlava 17 Estados, a oposição partiu para a campanha de massas nas cidades. Foram realizados comícios na Praça Mauá, no Rio de Janeiro e na várzea do Carmo, em São Paulo. 
As eleições que se realizaram no dia 1º de março de 1930 foram fraudadas ao extremo, como sempre, e deram a vitória a Júlio Prestes.
Os chefes das duas chapas haviam feito um acordo prometendo respeitar os resultados, por isso os aliancistas não pensavam em se revoltar. Mas essa tradição de conciliação inter-oligárquica parecia ter limites e representantes mais jovens das oligarquias oposicionistas, como o mineiro Virgílio de Melo Franco e os gaúchos João Neves da Fontoura e Osvaldo Aranha, este último dizia estar “farto dessa comédia”, se dispunham a romper o pacto entre as oligarquias, conseguindo a adesão de líderes das facções centristas do tenentismo, entre os quais Juarez Távora, João Alberto e outros. O que surpreendeu foi, que apesar de insistentemente convidado, Luiz Carlos Prestes recusou-se a participar do golpe. Ele classificava as eleições como “uma farsa metódica e cuidadosamente preparada pelas oligarquias” e, em maio de 1930, rompeu com o tenentismo criando a Liga de Ação Revolucionária, de ideologia comunista, pregando uma revolução nacionalista e democrática.
As forças populares não estavam inteiramente fora da cena política. Uma organização de Uma organização de esquerda, o Bloco Operário e Camponês, chegou a eleger alguns parlamentares no Rio de Janeiro, mas eles simplesmente não foram aceitos pela Comissão de Verificação do Congresso, o que provocou protestos populares.As forças oligárquicas e burguesas inquietavam-se com a agitação popular, principalmente com as rearticulações dos “tenentes” militares e civis. Percebendo que era preciso assumir a direção da conspiração para evitar que ela tomasse rumos considerados radicais, as oligarquias dissidentes aderiram ao movimento. “FAÇAMOS A REVOLUÇÃO ANTES QUE O POVO A FAÇA” declarou o presidente mineiro Antonio Carlos Andrade.
O Assassinato de João Pessoa na Paraíba, em conseqüência de lutas entre os grupos dominantes locais, foi um dos pretextos para o golpe. Como os motivos dessa morte foram escusos a propaganda getulista aproveitou-se disso para usar em seu favor, pondo a culpa na oposição, além da crise econômica acentuada pela crise de 1929; a indignação, portanto, aumentou, e o Exército - que era contrário ao governo vigente desde o tenentismo - se mobilizou iniciando uma Revolução. Ela rapidamente se alastrou por todo o país. Oito governos estaduais no nordeste foram depostos pelos tenentes. Com os oficiais de alta patente, tropas gaúchas, sob a chefia do tenente-coronel Góes Monteiro iniciaram a marcha para a capital. No dia 10, Getúlio Vargas lançou o manifesto "O Rio Grande de pé pelo Brasil" e partiu, por ferrovia, rumo à capital federal então, o Rio de Janeiro. 
Esperava-se que ocorresse uma grande batalha em Itararé na divisa com o Paraná, onde as tropas do governo federal estavam acampadas para deter o avanço das forças revolucionárias, lideradas militarmente pelo coronel Góis Monteiro. Porém, em 12 e 13 de outubro ocorreu o Combate de Quatiguá, que pode ter sido o maior combate desta Revolução. Constitui-se em um combate violento com a participação de centenas de soldados apoiados por uma artilharia eficiente. 
O combate de Quatiguá foi o maior da Revolução, pelo número de baixas, mais de 500 do lado da "Legalidade", pelo número de soldados envolvidos e por ser a primeira luta do movimento. Como são comuns neste nosso país de pouca memória, os pesquisadores não sabem ainda onde estão os relatórios paulistas bem como a maior parte dos relatórios dos gaúchos, perdidos ou destruídos, quem há saber. 
No nordeste os revoltosos tomaram a maioria dos Estados, enquanto uma terceira frente partiu de Minas Gerais para São Paulo, onde houve resistência até chegar à notícia da deposição do presidente Washington Luis por uma junta militar formada pelos generais do Exército e da fuga do candidato eleito Júlio Prestes que se refugiou na Embaixada Inglesa. A junta era um triunvirato governamental composto Augusto Tasso Fragoso, general chefe da junta, mais conhecido por Tasso, José Isaías de Noronha e João de Deus Mena Barreto Com a situação na capital sob controle, a junta enviou o primeiro de uma série de telegramas a Getúlio Vargas, propondo a suspensão total das hostilidades em todo o país, tentou, sem êxito, manter-se no poder. Jornais que apoiavam o governo deposto foram empastelados; Júlio Prestes, Washington Luís e vários outros próceres da república velha foram exilados.
Em 3 de novembro de 1930, Getúlio Vargas assume a chefia do Governo Provisório. Era o fim da República Velha. (CONTINUA...)



Em 1931...

O Papa Pio XI inaugura a Rádio Vaticano com um discurso em latim intitulado Qui Arcano Dei. A sua missão era difundir a mensagem e atividades do Papa, da Santa Sé e da Igreja Católica.

Desde 3 de Novembro do ano anterior, Getúlio Vargas assumiu o Governo Provisório do Brasil (impedindo a posse de Julio Prestes, então Presidente Eleito, vítima de um Golpe de Estado). Em 1931, o ano começa com milhares de operários fazendo manifestação de apoio ao Getúlio. 

1931 foi também o famigerado ano de início do Horário De Verão, determinado por Getúlio por decreto em 01 de Outubro. Também foi o ano de criação do ECT - Empresa De Correios e Telégrafos. 

1931 foi o ano de nascimento de Fernando Henrique Cardoso, Cauby Peixoto e Chico Anysio!

Nos cinemas, Drácula, Frankstein, Limite, Some Like It Hot, City Lights (Chaplin), Capitol (Greta Garbo), Avanger, Red Dust, dentre outros!

Na música internacional:

AL JOHNSON - Let Me Sing And I’m Happy
BING CROSBY - Out Of Nowhere
CAB CALLOWAY - Minnie The Moocher
DON AZPIAZU - The Peanut Vendor
DUKE ELLINGTON - Three Little Words
FRED WARING - Little White Lies
LIBBY HOLMAN - Love For Sale
NAT SHILKRET - Dancing With Tears In My Eyes
PAUL WHITEMAN - Body And Soul
RUTH ETTING - Ten Cents A Dance
TED LEWIS - On The Sunny Side Of The Street

E, na música brasileira? Vamos conferir...AGORA!

1931!

Há 86 anos...

1) ORQUESTRA COLBAZ - Tico Tico No Fubá
2) FRANCISCO ALVES & MÁRIO REIS - Se Você Jurar
3) GASTÃO FORMENTI - De Papo Pro Ar
4) NOEL ROSA - Com Que Roupa?
5) FRANCISCO ALVES - Deusa
6) SILVIO CALDAS - Faceira
7) CARMEN MIRANDA & GRUPO DA VELHA GUARDA - Sonhei Que Era Feliz
8) FRANCISCO ALVES - Nem É Bom Falar
9) ARACY CÔRTES - Reminiscências
10) ORQUESTRA VICTOR BRASILEIRA - Desiludido
11) ELISA COELHO - No Rancho Fundo
12) CONJUNTO TUPI - Cadê Vira-Mundo?
13) LUIZ BARBOSA - Meu Santo
14) CARMEN MIRANDA - Benzinho
15) JONJOCA - Rosalina
16) ALBÊNZIO PERRONE - No Altar Do Nosso Amor
17) CASTRO BARBOSA & JONJOCA - Sinto Falta De Você
18) ALMIRANTE - Já Não Posso Mais
19) FLORIANO BELHAM - Cinzas De Amor
20) ORESTES BARBOSA - Nega, Meu Bem


MENÇÕES HONROSAS:

ALMIRANTE - Eu Vou Pra Vila
ALVINHO - Meu Segredo
ARACY CÔRTES - Quero Sossego
ARTHUR COSTA - Bom Elemento
BANDO DE TANGARÁS - Lataria
BIDÚ SAYÃO - Canto Da Saudade
BIDÚ SAYÃO - Casinha Pequena
BIDÚ SAYÃO - Cisnes
C. MENDONÇA - Quem Ama Não Esquece
CALAZANS - Dona Nhá Nhá
CANDIDO BOTELHO - Meu Coração
CANUTO - Eu Agora Fiquei Mal
CARMEN MIRANDA - Absolutamente
CARMEN MIRANDA - Carnavá Tá Aí
CARMEN MIRANDA - Deixa Disso
CARMEN MIRANDA - Eu Gosto Da Minha Terra
CARMEN MIRANDA - Eu Sou Do Barulho
CARMEN MIRANDA - Malandro
CARMEN MIRANDA - Ta-hi 
CARMEN MIRANDA - Vamos Brincar
CASTRO BARBOSA - Carioca
CASTRO BARBOSA - Vou Pegá Lampião
CASTRO BARBOSA & JONJOCA - A Cana Está Dura
CONJUNTO TUPI - Bambaia
ELISA COELHO & SILVIO CALDAS - Terra De Iaiá
FARIA - Eu Juro!
FLORIANO BELHAM - Quando A Noite Desce
FLORIANO BELHAM - Sinhá
FRANCISCO ALVES - Apanhando Papel
FRANCISCO ALVES - Dançando Com Lágrimas nos Olhos
FRANCISCO ALVES - Olhos Fatais
FRANCISCO ALVES - Palpite
FRANCISCO ALVES & MÁRIO REIS - Deixa Essa Mulher Chorar
FRANCISCO ALVES & MÁRIO REIS - O Que Será De Mim?
GASTÃO FORMENTI - Glória
GASTÃO FORMENTI - Não Tardes
GASTÃO FORMENTI - Zíngara
HELENA DE CARVALHO - Chinelinha Do Meu Amor
JAYME VOGELER - Almas Gêmeas
JAYME VOGELER - Encurta a Saia
I.G. LOYOLA & NOEL ROSA - Com Que Roupa?
JOÃO DE BARRO - Cor De Prata
JOÃO DE BARRO - Minha Cabrocha
JOÃO DE BARRO & O BANDO DE TANGARÁS - Mulata
LAMARTINE BABO - Canção Para InglÊs Ver
LUIZ AMERICANO - É do Que Há
LUIZ AMERICANO - Numa Seresta
LUIZ BARBOSA - Não Gostei de Seus Modos
MÁRIO PESSOA - Sá Zeferina Tá De Vorta
MÁRIO REIS - Na Aldeia
MÁRIO REIS - Não Me Perguntes
NOEL ROSA - Gago Apaixonado 
NOEL ROSA & JOÃO DE BARRO - Picilone
ODETE PIRES - Ehvoé!
OLGA JACOBINO - A B Surdo
ORQUESTRA VICTOR BRASILEIRA - Carrapato Cum Tosse
OTÍLIA AMORIM - Desgraça Pouca É Bobagem
OTÍLIA AMORIM - Eu Sou Feliz
OTÍLIA AMORIM - Sem Você
OTÍLIA AMORIM & PILÉ - Vou Te Levar
PARAGUASSU - Amor De Caboclo
PAULO NETTO DE FREITAS - Sinhá Ritinha
SILVIO CALDAS - Mão No Remo
SILVIO CALDAS - O Teu Amor Desprezei
SILVIO CALDAS - Teu Desprezo
SONIA BARRETO - Bastiano

E, ao som dessa marchinha deliciosa que fez (e faz até hoje), muito sucesso, por meio da Orquestra Colbaz (primeira e histórica gravação desse clássico mundialmente conhecido), a gente encerra essa edição com muita festa!

Curiosidade: o autor Zequinha De Abreu apresentou a canção (um choro) durante um baile na cidade de Santa Rita Do Passa Quatro, na década de 20, causando entusiasmo geral. Ela se chamava, na época, "Tico Tico No Farelo", mas, como já havia uma canção registrada com esse nome, ele alterou para "Fubá"

Apresar de ter aparecido na década de 20, ela só seria gravada mesmo oficialmente em 1931, pela Orquestra Colbaz, e, a partir daí, tornara-se sucesso no mundo inteiro, e tema de muitos filmes! A versão mais famosa desse choro, contudo, é mesmo a de Carmen Miranda!




TICO-TICO NO FUBÁ
Orquestra Colbaz
Composição: Zequinha De Abreu

Tico-tico
Tico-tico
O tico-tico tá
Tá outra vez aqui
O tico-tico tá comendo meu fubá
O tico-tico tem, tem que se alimentar
Que vá comer umas minhocas no pomar

Tico-tico
O tico-tico tá
Tá outra vez aqui
O tico-tico tá comendo meu fubá
O tico-tico tem, tem que se alimentar
Que vá comer umas minhocas no pomar

Ó por favor, tire esse bicho do celeiro
Porque ele acaba comendo o fubá inteiro
Tira esse tico de cá, de cima do meu fubá
Tem tanta coisa que ele pode pinicar
Eu já fiz tudo para ver se conseguia
Botei alpiste para ver se ele comia
Botei um gato, um espantalho e alçapão
Mas ele acha que fubá é que é boa alimentação

O tico-tico tá
Tá outra vez aqui
O tico-tico tá comendo meu fubá
O tico-tico tem, tem que se alimentar
Que vá comer é mais minhoca e não fubá

Tico-tico
O tico-tico tá
Tá outra vez aqui
O tico-tico tá comendo meu fubá
O tico-tico tem, tem que se alimentar
Que vá comer é mais minhoca e não fubá



TH - E haja fubá!!

domingo, 1 de outubro de 2017

TOPTULHO MUSICAL # 145!


Começando mais um TopTulho Musical, a parada da resistência! Outubro já chega com tudo com a edição 145! Vamo que vamo!

Só a música para nos salvar da selva conservadora que está se tornando o Brasil. Aqui, a gente tem resistência e música livre, sempre!

Como toda primeira edição do mês, a gente atualiza o ranking dos TopTulhos Especiais, e digo que o especial da Nana Caymmi teve uma ótima "visualizagem"! Abaixo, o ranking!

1) MARINA LIMA - 1433 Visualizações (Setembro/16)
2) GILBERTO GIL - 1336 Visualizações (Outubro/16)
3) GONZAGUINHA - 1269 Visualizações (Agosto/16)
4) MILTON NASCIMENTO - 1267 Visualizações (Novembro/16)
5) RAUL SEIXAS - 1162 Visualizações (Julho/16)
6) CÁSSIA ELLER - 1048 Visualizações (Dezembro/16)
7) ELBA RAMALHO - 987 Visualizações (Junho/16)
8) KID ABELHA - 818 Visualizações (Maio/16)
9) ADRIANA CALCANHOTTO Visualizações - 630 (Fevereiro/17)
10) TOM JOBIM - 620 Visualizações (Janeiro/17)
11) MARISA MONTE - 510 Visualizações (Abril/16)
12) DJAVAN - 509 Visualizações (Março/17)
13) RENATO RUSSO - 315 Visualizações (Março/16)
14) ANA CAROLINA - 232 Visualizações (Abril/17)
15) ALCEU VALENÇA - 160 Visualizações (Junho/17)
16) ELIS REGINA - 135 Visualizações (Janeiro/16)
17) RITA LEE - 124 Visualizações (Novembro/15) 
18) NANA CAYMMI - 118 Visualizações (Setembro/17)
19) NEY MATOGROSSO - 117 Visualizações (Fevereiro/16)
20) GUILHERME ARANTES - 116 Visualizações (Maio/17)
21) IVAN LINS - 94 visualizações (Julho/17)
22) CAZUZA - 83 Visualizações (Julho/15)
23) LUIZ MELODIA - 83 visualizações (Agosto/17)
24) MARIA BETHâNIA - 81 Visualizações (Junho/15)
25) CHICO BUARQUE - 67 Visualizações (Outubro/15)
26) CAETANO VELOSO - 65 Visualizações (Setembro/15)
27) GAL COSTA - 60 Visualizações (Agosto/15)
28) ZIZI POSSI - 59 Visualizações (Maio/15)

Hoje também retornamos com a subseção "TopTulho Musical Do Passado", iniciando a temporada "Anos 30", e o sublinhado musical daquele importante período da História Brasileira. Desça a barra de rolagem até o final para conferir!

Na parada de hoje, a dupla Elza Soares e Pitty recuperam a primeira posição com "Na Pele", destronando Chico Buarque. E temos três lindas estreias: Pato Fu, Tribalistas e Barão Vermelho (com Rodrigo Suricato), que entram nos lugares de Criolo, Marisa Monte e João Bosco. 

Sem delongas, vamos mostrar como ficou a edição de hoje:

TOPTULHO MUSICAL - EDIÇÃO # 145 (01/10/2017)

1) ELZA SOARES & PITTY - Na Pele (+1) (6 Semanas) 
2) TRIBALISTAS - Aliança (+2) (5 Semanas)
3) CHICO BUARQUE - Tua Cantiga (-2) (8 Semanas)      
4) VANESSA DA MATA & BAIANA SYSTEM - Gente Feliz (Sinceridade) (+1) (6 Semanas)  
5) JOHNNY HOOKER & LINIKER - Flutua (+2) (7 Semanas) 
6) MAJOR LAZER & ANITTA & PABLLO VITTAR - Sua Cara (-3) (12 Semanas)    
7) TIÊ - Amuleto (+5) (2 Semanas)
8) OS PARALAMAS DO SUCESSO - Sinais Do Sim (=) (7 Semanas)
9) PRETA GIL & PABLLO VITTAR - Decote (+1) (4 Semanas)
10) ZIZI POSSI - O Mar Me Leva (-4) (8 Semanas)
11) PROJOTA & ANAVITÓRIA - Linda (+6) (3 Semanas)   
12) NANDO REIS - Nos Seus Olhos (+3) (2 Semanas)
13) ZECA BALEIRO & ALESSANDRA MAESTRINI - Que Amor É Esse? (+1) (4 Semanas) 
14) GEORGE ISRAEL & TONI GARRIDO & DJ JOE KINNI - Olha Ela (-5) (7 Semanas) 
15) GUILHERME ARANTES - Semente Da Maré (Canção Do Refugiado) (+1) (4 Semanas)
16) PATO FU - Palco (ESTREIA)
17) LÉO JAIME - Acredite Em Mim (-7) (8 Semanas) 
18) NATIRUTS - Sol Do Meu Amanhecer (-5) (11 Semanas)     
19) TRIBALISTAS - Diáspora (ESTREIA)
20) BARÃO VERMELHO & RODRIGO SURICATO - Brasil (ESTREIA)

Saem:

CRIOLO - Menino Mimado (12 Semanas. Maior posição: 02) 
MARISA MONTE - Flor Do Ipê (10 Semanas. Maior posição: 02)   
JOÃO BOSCO - Onde Estiver (3 Semanas. Maior posição: 17) 

"Gente Feliz" foi o primeiro single do CD (e DVD) "Caixinha De Música" de Vanessa da Mata, e traz uma parceria entre a cantora e o grupo cult do momento, Baiana System. 

A sonoridade é extremamente diferente da que se ouviu nos trabalhos anteriores da cantora, e isso é um elogio, afinal Vanessa precisava se reinventar. Vinha seguindo "o manual do "Essa Boneca Tem Manual" há pelo menos dois discos!

Já tem música nova engatilhada para entrar no TopTulho (votação dia 06, sexta), porém, a gente fica com esse hit, que hoje alcança a quarta posição!


GENTE FELIZ (SINCERIDADE)
Vanessa Da Mata & Baiana System

Gente feliz não se incomoda com pouco
Eu acho que a felicidade não vem só
Os meus amigos eu escolho
São sócios da alegria que eu gosto de levar

Gente feliz não se incomoda com os outros
Cada um tem sua maneira de existir
Se cuide para não ficar amargurado
Não seja o tipo que reclama e fica sentado

Não procure mais
Gente que te faz sofrer
Pra que o autoabuso
Dar o rosto a bater

Há problemas sim
Sem beijo na boca
Sem solução mágica
Vamos trabalhar

Eu vi o sorriso de Nelson Mandela
É quando meu coração desmantela
Ouvindo as notas precisas de Fela
E vendo as cores que pintam na tela

Sinceridade, sinceridade
O sorriso do bem tem que ser de verdade
Sinceridade, sinceridade
O sorriso do bem tem que ser de verdade

Eu vou fazer uma mandinga pra tirar Quizila
E o sorriso amarelo descer na banguela
e mergulhar no teu juízo
Eu vou fazer uma mandinga pra tirar Quizila
E o sorriso amarelo descer na banguela
e mergulhar no teu juízo

Não procure mais
Gente que te faz sofrer
Pra que o autoabuso
Dar o rosto a bater

Há problemas sim
Pois estamos vivos
Se existe vida
Vamos celebrar

Não deixe que ninguém te tire o sorriso
Há sempre alguma coisa para celebrar
Não deixe que ninguém te tire o sorriso
Há sempre alguma coisa para celebrar



Foi lindo, foi poético, foi polêmico!

Claro que me refiro à parceria entre Johnny Hooker e Liniker, que incomodou (e muito) a ala conservadora do país, principalmente quando cantaram juntos no Rock In Rio. Se incomoda os conservadores, pode apostar: É BOM!

Já esquecida a polêmica declaração de JH sobre Ney Matogrosso, hoje a gente celebra sua obra, essa deliciosa música que é "Flutua", um blues arrojado que exalta o amor gay. Em tempos de "Cura Gay", essa letra soa subversiva, e extremamente oportuna!

A canção pertence ao álbum "Coração", bastante plural e agregador à carreira do rapaz. Detalhe sutil pro genial "Amar Sem Temer" da letra, por motivos óbvios! :)

Abaixo, o link da versão de estúdio, e, depois, da apresentação deles no RIR 2017!


FLUTUA
Johnny Hooker & Liniker

O que vão dizer de nós?
Seus pais, Deus e coisas tais
Quando ouvirem rumores do nosso amor
Baby, eu já cansei de me esconder
Entre olhares, sussurros com você
Somos dois homens e nada mais

Eles não vão vencer
Baby, nada há de ser em vão
Antes dessa noite acabar
Dance comigo a nossa canção!

E flutua, flutua
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar
E flutua, flutua
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar

Entre conversas soltas pelo chão
Teu corpo teso, duro, são
E teu cheiro que ainda ficou na minha mão

Um novo tempo há de vencer
Pra que a gente possa florescer
E, baby, amar, amar sem temer

Eles não vão vencer
Baby, nada há de ser em vão
Antes dessa noite acabar
Baby, escute, é a nossa canção

E flutua, flutua
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar
E flutua, flutua
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar
E flutua, flutua
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar

Como amar
Como amar
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar
Como amar
Como amar
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar

Como amar
Como amar
Ninguém vai poder querer nos dizer como amar!!



Demais, hein? Mas não acabou ainda não...vamos agora matar as saudades da subseção...





Tavam com saudades das aulinhas de História aqui do TopTulho, né? Pois fiquem sossegados, pois hoje retomamos - dessa vez para começar a falar da década de 30! Está no ar a TEMPORADA ANOS 30 o TopTulho Musical Do Passado!!

A década de 30 é bastante curiosa e foi precursora de muitos comportamentos que - com as devidas atualizações, claro - se estendem até hoje!

Muitos pessimistas, contudo, dizem que foi a pior década existente - a que começou com a Depressão e terminou com a Guerra! Explicaremos a seguir!

O mundo tinha acabado de sofrer o baque da quebra da Bolsa de Valores de Nova York (1929), o que causou um estrago histriônico no Capitalismo mundial. Muitos negócios foram fechados, muitos fazendeiros oligárquicos viram sua produção se esvair, e muitos deles também se suicidaram. A crise refletiu numa depressão profunda, sobretudo nos primeiros anos (1930 e 1931). 

Os anos 30 descobriram o esporte, a vida ao ar livre e os banhos de sol. Com eles, os primeiros modelos mais "cavados" - uma pequena ousadia em relação às conquistas dessa área nos anos subsequentes!

A mulher dessa época devia ser magra, bronzeada, o modelo de beleza da atriz Greta Garbo. Seu visual sofisticado, com sobrancelhas e pálpebras marcadas com lápis e pó de arroz bem claro, foi também muito imitado pelas mulheres.

Aliás, o cinema foi o grande referencial de disseminação dos novos costumes. Hollywood, através de suas estrelas, como Marlene Dietrich, e de estilistas, como Edith Head e Gilbert Adrian, influenciaram milhares de pessoas.

Alguns modelos novos de roupas surgiram com a popularização da prática de desportos, como os calções, que surgiu a partir do uso da bicicleta.

O ritmo musical Swing começa a se tornar popular (a partir de 1935 em diante). Substituindo gradualmente o Jazz que tinha sido popular durante a década anterior. O mundo entrou na "Era do Swing". As canções das Big bands se tornaram o tipo de música mais popular dos Estados Unidos. Um exemplo de música da época é Sing Sing Sing, uma canção de 1936 escrita por Louis Prima.

Os movimentos totalitários começam a eclodir também em outros países europeus, com Mussolini na Itália, Salazar em Portugal, Francisco Franco na Espanha e Stálin na União Soviética, além de Hitler na Alemanha.

No Brasil, ocorre a Revolução de 30, movimento que chega ao poder encabeçado pelo político gaúcho Getúlio Vargas. Em 1932 inicia a Revolução Constitucionalista, organizada pelo estado de São Paulo, que exige, entre outros pontos, a constitucionalização do novo regime. O movimento é derrotado, mas força a convocação da Assembleia Constituinte em 1933. Em 1934 seria promulgada a nova Constituição. Chega ao fim a política do café-com-leite e tem início o Estado Novo, em novembro de 1937. Ao longo do restante da década não seriam realizadas eleições no país (as eleições só voltariam com

(Informações atualizadas do Artigo "Anos 30 - os Anos de Incertezas" artigos/economia-e-financas/decada-de-30-os-anos-de-incertezas/27596/)



...1930...

Peço agora licença para homenagear minha amada avó Cordélia Miranda, que é a pessoa que mais amo nessa vida, e que nasceu neste dileto ano, e está muito bem de saúde nos seus 87 aninhos completados esse ano! Essa edição é para ti, vó! TE AMO!

Esse ótimo artigo será exposto em partes, ao longo de toda essa temporada!

DÉCADA DE 30 – OS ANOS DE INCERTEZAS
Por Fatima Mendes Carvalho

A década de 30 é marco divisor de águas na História brasileira. De um lado, o declínio de uma classe social constituída até o momento por uma elite agrária rural, os Senhores do Café. De outro a ascensão da burguesia industrial e o crescimento do proletariado urbano. Em meio a este contexto, o Estado, que tenta se firmar e definir sua atuação dentro desta sociedade. É o momento em que o proletariado urbano inicia sua luta de reivindicações, juntamente com os trabalhadores rurais. Constituem-se no seio desta sociedade, organismos de questionamento e defesa destes trabalhadores. 
O período de 1930 a 1937 foi de incertezas para a população brasileira e de instabilidade social e política, no que diz respeito à legitimação do novo regime implantado no País. Ficou proibido formar grupos nas ruas. A polícia política se fazia presente em todos os lugares da Capital do País, o Rio de Janeiro, e em outras capitais dos Estados da Federação. Na opinião de muitos cidadãos, o Governo demorava demais para realizar as mudanças necessárias para efetivação do regime constitucional democrático. 
Na verdade, o governo não tinha pressa, pois desfrutava de seus poderes discricionários e excepcionais. Essa concentração de poderes fez emergirem disputas entre os variados setores que compunham a coalizão revolucionária. Não havia consenso na rearrumação de elites no poder. 
Ansiosos por mudanças, massas de desempregados vagam pelas cidades e pelos campos do Brasil de então, acreditando que o novo governo resolveria todos os seus problemas. Era um país mergulhado em contradições num mundo conflagrado por agitação social, greve, ocupações de fábricas, ameaça de “golpes vermelhos” na velha Europa, mudanças de regimes constitucionais e intensa produção bélica. Podemos assistir claramente, durante este período, a remodelação da economia frente às mudanças econômicas mundo afora. Foi o início da consolidação de uma frente econômica baseada na indústria, que trazia consigo a ascensão de um novo grupo social que viria determinar, futuramente, os rumos econômicos de nosso país. Entender, entretanto, a conjuntura que envolveu uma mudança tão significativa não é simples e nem poderia ser, pois se deve associar a esta mudança, uma desconjuntura gradual das forças políticas e o embate historiográfico que tenta compreender e discutir, quais elites ou grupos sociais que realmente conseguiam exercer algum tipo de influência no Estado.
O Brasil é um país marcado por exclusões sociais ao longo de toda a sua história, em qualquer esfera da sociedade: saúde, educação, moradia, entre outros. No processo educacional, por exemplo, encontramos um dos maiores exemplos dessas exclusões, que remonta desde o Brasil colônia, em que o sistema educacional era quase inexistente, já que não havia demanda da estrutura social e de produção, não havendo assim necessidade de uma abordagem escolar. As funções de reprodução da ideologia dominante e das relações de dominação eram cumpridas pelas escolas jesuítas. Ainda no Império e I República, a Igreja continuou controlando as instituições de ensino, não alterando substancialmente as funções de educação em relação ao período colonial. 
A partir de 1930, com a ascensão do governo populista do presidente Getúlio Vargas, o operariado brasileiro recebeu uma série de benefícios sociais. Era necessário abrir o país para o capital estrangeiro e avançar do período rural para a industrialização. O Governo Vargas, traçou as diretrizes da modernização estatal, adequando as leis e a sociedade para esta nova fase e servindo de interventor, apaziguador (!!) e controlador das lutas de classes. 
A quebra da Bolsa de Valores em Nova Iorque, em 1929, trouxera uma crise sem paralelo ao capitalismo. O mundo capitalista faliu. 
O principal produto da pauta de exportações brasileiras nesta ocasião era o café. “Produto de sobremesa”. Em situações de crise, as sociedades humanas economizam com o supérfluo. Café é supérfluo. As exportações brasileiras sofreram, portanto, vertiginoso decréscimo. Justamente os criadores de gado do Rio Grande do Sul e Minas Gerais e os produtores de cana-de-açúcar da Paraíba que são aqueles que “põem o dinheiro na casa chamada Brasil” se deram conta que estavam sendo ludibriado pelos coronéis paulistas, que se organizaram em torno do paulista Júlio Prestes para a sucessão de Washington Luís, ao invés de respeitar a “política do café-com-leite” que rezava ser agora vez de um político apoiado pelos mineiros. 
Num primeiro momento Getúlio Vargas, que tomara posse do governo do Rio Grande do Sul em 1928 e João Pessoa, da Paraíba, formaliza uma aliança contra os propósitos de Washington Luís que negou a concessão de financiamentos aos cafeicultores pelo Banco do Brasil. Washington Luís queria sustentar a política de estabilização financeira recomendada pelos banqueiros estrangeiros como condição para empréstimos posteriores. Por esta razão, ele também retirou o apoio ao seu sucessor “natural”, o então presidente de Minas Gerais, Antonio Carlos Andrade, se unindo aos paulistas para a candidatura de Prestes, rompendo o pacto entre as oligarquias paulista e mineira.
Se olharmos para a economia desta época é fácil verificar a recorrência dos descontroles das despesas governamentais, dos desequilíbrios orçamentários e da balança comercial, da incapacidade para atender à demanda por crédito no plano interno e, fundamentalmente, da dependência do fluxo de recursos advindos do exterior, fosse das divisas oriundas das exportações, fosse dos financiamentos e investimentos dos capitais ingleses, norte-americanos, alemães, holandeses e até japoneses. A dívida externa do país em 1928/1929 era a mais elevada da América Latina, representando cerca de 44% do total, enquanto a Argentina tinha 27% e o Chile vinha a seguir com 12%.
Contando com a insatisfação das demais facções oligárquicas, Antonio Carlos Andrade, em Minas Gerais, organizou uma chapa de oposição, onde a cabeça da chapa era Getúlio Vargas, do Rio Grande do Sul e João Pessoa, da Paraíba, foi indicado para vice.
Vargas contou com o apoio dos dois maiores partidos do seu estado, o PRR – Partido Republicano Rio-grandense e o PL – Partido Libertador, que juntos formavam a Aliança Liberal e que recebeu ainda o apoio do Partido Democrático, grupo dissidente do PRP – Partido Republicano da Paraíba.
O Programa da Aliança Liberal não se distinguia, no essencial, dos apresentados pelas oligarquias em disputas anteriores, mas havia uma insistência maior nas reformas políticas e jurídicas exigidas pelos tenentes, que apoiavam o insurgente General Luiz Carlos Prestes (que não era parente de Júlio Prestes) de que fosse instituído o voto secreto e o voto feminino, maior justiça eleitoral e anistia para os oficiais condenados na rebelião de Prestes. 

(Continua na próxima edição..)

Nos cinemas de 1930, Marrocos, A Idade Do Ouro, Anjos Do Inferno, Anna Christie, dentre outros!

Na música internacional, os seguintes sucessos:

AL JOLSON - Sonny Boy
BEN SELVIN  - Happy Days Are Here Again
CARLOS GARDEL - Adios Muchachos
CLIFF EDWARDS - Singin' In The Rain
COPLEY PLZA ORCHESTRA - Pagan Love Song
ETHEL WATERS - Am I Blue?
GUY LOMBARDO - Sweethearts On Parade
HARRY RICHMAN - Puttin’ On The Ritz
LEO REISMAN - With A Song In My Heart
NICK LUCAS - Tip Toe Through The Tulips
PAUL WHITEMAN - If I Had A Talking Picture Of You
ROY INGRAHMAN - Chant Of The Jungle
RUDY VALEE - Stein Song


E por aqui? A gente confere indo agora para....1930!
Há 87 anos...


1) CARMEN MIRANDA - Tahi (Eu Fiz Tudo Pra Você Gostar De Mim)
2) ALMIRANTE E BANDO DE TANGARÁS - Na Pavuna
3) FRANCISCO ALVES - A Dor De Recordar
4) FRANCISCO ALVES & MÁRIO REIS - Deixa Essa Mulher Chorar
5) MÁRIO REIS - Já É Demais
6) QUARTETO BRUNSWICK - Amoroso
7) BANDO DE TANGARÁS - Mulher Exigente
8) AUGUSTO CALHEIROS - Linda Cabocla
9) ORQUESTRA VICTOR BRASILEIRA - Urubatã
10) JAYME VOGELER - Louras e Morenas
11) ELISA COELHO - Capelinha De Melão
12) SIMÃO NACIONAL ORQUESTRA - Maroca Só Que Puxa (!!)
13) RATINHO - Saxofone, Por Que Choras?
14) NOEL ROSA - Festa No Céu
15) HELENA DE CARVALHO - Sou Morena
16) JESY BARBOSA - Volta
17) SILVIO CALDAS - Nem Queiras Saber
18) ARTHUR COSTA - Amor e Carinho
19) CONJUNCTO TÍPICO BRASILEIRO - Idalina
20) JONJOCA - Não Fui Eu


MENÇÕES HONROSAS:

ABIGAIL A. PARECIS - Diante De Um Berço
ARACY CÔRTES - Você Não Era Assim
AUGUSTO CALHEIROS - Teus Olhos Castanhos
BENÍCIO BARBOSA - Teus Olhos
BENÍCIO BARBOSA & HENRIQUE CHAVES - Teus Ciúmes
BRENO FERREIRA - Adeus, Meu Carnaval
BRENO FERREIRA - Foi Muamba
BRENO FERREIRA - Isquipac - Isquipu
BRENO FERREIRA - Tracuá Me Ferrô
CALAZANS - Carnaval Do Norte
CALAZANS - Seu Zé Pereira
CARMEN MIRANDA - Burucuntum
CARMEN MIRANDA - Eu Gosto Da Minha Terra
CARMEN MIRANDA - Eu Quero Casar Com Você
CARMEN MIRANDA - Gostinho Diferente
CARMEN MIRANDA - Iaiá, Ioiô 
CARMEN MIRANDA - O Nego No Samba
CHRISTINA COSTA - Glorificação
ELISA COELHO - Escrita Errada
ELISA COELHO - Minha Viola É De Primeira
EDGARD VELLOSO - Venus Carioca
ERNESTO NAZARETH - Apanhei-Te Cavaquinho
ERNESTO NAZARETH - Escovando (!!)
FLORIANO BELHAM - - Mamãezinha Está Dormindo
FRANCISCO ALVES - A Voz Do Violão
FRANCISCO ALVES - Dá Nele
FRANCISCO ALVES - É Sopa
FRANCISCO ALVES - Hino A João Pessoa
GILDA DE ABREU - A Baiana Tem Cocada
GRUPO ALMA DO NORTE - Pai De Santo
GRUPO DE VIOLÕES - Sabãozinho
GRUPO DOS PRAZERES - Vou Te Abandonar
HELENA DE CARVALHO - Fogo Foguinho
JANUÁRIO DE OLIVEIRA - Cauã
JANUÁRIO DE OLIVEIRA - Dança Do Caboclo
JANUÁRIO DE OLIVEIRA - Engenho Novo
JAYME REDONDO - História de Jaci
JESY BARBOSA - Medroso De Amor
JESY BARBOSA - Minha Viola
JOÃO PERNAMBUCO - Magoada
JONJOCA - Não Te Dou Perdão
MÁRIO REIS - Que Há Comigo?
MÁRIOS REIS - Nosso Futuro
MÁRIO REIS - Vai Mesmo?
MINONA CARNEIRO - Dedé
NABOR PIRES CAMARGO - Matando Saudades
NOEL ROSA - Minha Viola
PATRÍCIO TEIXEIRA - Gavião Calçudo
PATRÍCIO TEIXEIRA - Trepa No Coqueiro (!!)
PATRÍCIO TEIXEIRA - Xoxô
PINTO FILHO - Tava Assim De Português
PINTO FILHO & MARIA VIDAL - Sá Zeferina
PIXINGUINHA - A Vida É Um Buraco
RATINHO - Guariatã
RAUL TORRES & AZULÃO - Desafio
STEFANA DE MACEDO - Nos Cafundó Do Coração
STEFANA DE MACEDO - Papoula Viçosa
SILVIO CALDAS - Flor De Lotus
SYLVIO VIEIRA - Paganini
TURMA CAIPIRA VICTOR - Casamento Da Onça (!!)
UBIRAJARA - Noite Cheia De Estrelas
VICENTE CELESTINO - Quando Te Vi

E, para encurtar um pouco esse post tão cheio de textões, vamos direto ao ponto: Carmen Miranda mais uma vez em primeiro lugar no TopTulho Musical Do Passado. Ela estava no auge, claro, e como já falamos demais da diva, a gente vai direto pra esse clássico do cancioneiro INTERNACIONAL!



TA-HI (Eu Fiz Tudo Pra Você Gostar De Mim)
Carmen Miranda

Taí!
Eu fiz tudo pra você gostar de mim
Ó meu bem
Não faz assim comigo não
Você tem, você tem
Que me dar seu coração

Taí!
Eu fiz tudo pra você gostar de mim
Ó meu bem
Não faz assim comigo não
Você tem, você tem
Que me dar seu coração

Meu amor não posso esquecer
Se dá alegria faz também sofrer
A minha vida foi sempre assim
Só chorando as mágoas
Que não têm fim

Taí!
Eu fiz tudo pra você gostar de mim
Ó meu bem
Não faz assim comigo não
Você tem, você tem
Que me dar seu coração

Taí!
Eu fiz tudo pra você gostar de mim
Ó meu bem
Não faz assim comigo não
Você tem, você tem
Que me dar seu coração

Essa história de gostar de alguém
Já é mania que as pessoas tem
Se me ajudasse, Nosso Senhor
Eu não pensaria mais no amor



TH - Que venha com tudo, seu Outubro!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...