quinta-feira, 20 de novembro de 2014

AMIGO MUSICAL CONVIDADO # 39 - Fábio Dias!



Disparada como a melhor seção do EnTHulho Musical, o "Amigo Musical Convidado" está de volta, primeiro para publicar alguns textos que ficaram pendentes aqui no blogue. Desde já peço desculpas aos queridos que me enviaram seus relatos com tanto carinho, pela demora na publicação. E, também desde já, recruto novos amigos para compartilharem suas memórias musicais nesse nosso espaço afetivo!

Para (re)começar com o pé direito, o primeiro depoimento da nova fase do blogue pertence ao dono do excelente  "O Cabide Fala": Fábio Dias!

O Fábio veio do interior de SP (São José Do Rio Preto), e mora há anos na capital paulistana, e, segundo o próprio "eu me encontrei aqui. Não me vejo morando de novo no interior". 

O seu Cabide Fala  é um site cultural bem diversificado, onde você encontra novidades do ramo artístico (teatro, tv, cinema, etc), entrevistas, comentários, críticas, tudo bem escrito, em postagens bem ricas. Certamente, seu maior diferencial (e cartão de visita) são as análises de audiência das novelas e programas televisivos. Não são apenas números - o Fábio faz questão de analisar o contexto das tramas, de explicar que "tal pico de audiência teve como razão a reviravolta na trama X", e por aí vai. Em meio a tantos sites e blogues televisivos, convém destacar o talento do rapaz em oferecer um tratamento diferenciado ao tema. 

Falando da "pessoa Fábio" (e, como sabem, o EnTHulho gosta de analisar seus participantes), apesar do pouco contato pessoal e virtual, vejo o Fábio como um rapaz bem esforçado, tranquilo e até com uma sutil ingenuidade com a qual me identifico bastante. Ele é aquele que quer que "todo mundo fique bem", e transita amigavelmente até por grupos que não tem afinidade entre si. O Fábio é exatamente este: aquele amigo do colégio que, mesmo que fique sem grupo numa eventual divisão da classe para realizar trabalhos de equipe, para ele nunca haverá tempo ruim. Vai na boa, afina-se com facilidade e segue!

Outrossim, em nossa última conversa, revelou-se bem amadurecido (pelas porradas que levou da vida) e revisou o texto que havia escrito pra mim em 2011, sustentando que "estava meloso demais". Mas, caro Fábio, digo-lhe que, ainda que estivesse assim, melosidade não é indício de fraqueza. É traço característico que denota grande sensibilidade, e isso, meu amigo, é virtude :)

Passo a palavra ao rapaz, que elegeu essa canção do Legião Urbana, na voz da saudosa Cássia Eller, como sua!


Fui pego de surpresa, quando Thiago me chamou para participar desse nobre espaço atendido pelo nome de EnTHulho. Foi nosso primeiro contato, e por isso uma honra pra mim. Mas perguntei curioso: O que devo fazer? Ele: Basta você escolher uma música brasileira que te marcou por qualquer motivo e escrever sobre ela e sobre o porquê de ter marcado tanto. Então vamos lá, eu talvez diferente de da maioria, não tenho um artista pelo qual eu sou fã, e sigo e compro CDs, não! Eu gosto de tudo, ou quase tudo! Na era antiga, antes de surgir o mp3, eu era colecionador de trilhas sonoras de novelas, filmes, mas raramente comprava um cd de uma cantora. Mas uma vez comprei um da Cássia Eller, e não imaginava que essa aquisição iria marcar tanto um período de minha vida.


Acho que todo mundo quando começa uma namoro, um romance, acaba selecionando algumas músicas e diz ser a trilha sonora do casal. Ou será somente eu assim? As músicas que falam do sentimento mais nobre O AMOR, sempre conquistam os mais românticos e eu ainda sou um. Vivi intensamente uma história, e um dia acabou. Foi uma fase muito difícil, calma, não entrei em depressão, mas, fiquei com aquela dor que apenas quem viveu sabe. E na época, mas precisamente em 2004 a música que embalava essa dor era “Por Enquanto”, e um trecho que me emocionava, era um trecho que diz o que todos os casais acreditam e prometem quando começam ou vivem uma intensa relação: “Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar Que tudo era pra sempre Sem saber, que o pra sempre, sempre acaba”. Quem nunca acreditou nisso quando amou? Eu sempre ouvia essa música quando saia do trabalho a noite, indo pra casa. No final da música me emocionava ainda mais, pois terminava assim: “Mesmo com tantos motivos Pra deixar tudo como está Nem desistir, nem tentar agora tanto faz Estamos indo de volta pra casa.” Quando a música terminava, eu a voltava ao início. Fase difícil essa. Apenas quem passou por isso, sabe como é! Sempre quando ouço a música novamente, as memórias voltam, assim como contei.


Pesquisando sobre Cássia Eller pude notar que o currículo dela em trilhas sonoras de novelas é extenso, e fui informado pelo TH que essa música faz parte de PORTO DOS MILAGRES 2, não lembrava. O curioso é que até hoje mesmo após sua viagem eterna, ela continua presente em trilhas. Emocionando. 


Muito obrigado pelo convite Thiago!


Agora me diz, já viveu algo parecido?
Como foi?

Fábio Dias (www.ocabidefala.com)







Por Enquanto
Cássia Eller
Composição: Renato Russo

Mudaram as estações, nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu
Ta tudo assim tão diferente
Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar
Que tudo era pra sempre
Sem saber, que o pra sempre, sempre acaba
Mas nada vai conseguir mudar o que ficou
Quando penso em alguém só penso em você
E aí, então, estamos bem
Mesmo com tantos motivos
Pra deixar tudo como está
Nem desistir, nem tentar agora tanto faz
Estamos indo de volta pra casa
Mesmo com tantos motivos
Pra deixar tudo como está
Nem desistir, nem tentar agora tanto faz
Estamos indo de volta pra casa


TH - :)



video

5 comentários:

  1. Lindo texto Fabinho, me identifiquei muito!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo convite, pelo espaço e pelas carinhosas palavras, tanto comigo, quanto com o Cabide!
    Sua opinião é de grande valor para mim.
    Felicidades e sucesso com esse retorno!
    Abração!

    ResponderExcluir
  3. Amigo Fabio, seu texto seria digno de inúmeros comentários, porém, vc sabe que todo recomeço no blog é dificil...mas saiba que fiquei bem feliz com seu relato :)

    ResponderExcluir
  4. TH, comentários hoje em dia em blogs são raros. Não se preocupe com isso não!

    Abs

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...